Agricultura

É necessário enviar informações sobre todos os animais da propriedade rural, independentemente da espécie. Quem não cumprir a obrigação estará sujeito a sanções e multa

A Campanha de Atualização de Rebanhos no Paraná termina no dia 30 de novembro. Os produtores que perderem o prazo estarão sujeitos a sanções administrativas e poderão pagar multa. O processo pode ser feito online ou presencialmente, mas a orientação é não deixar para os últimos dias, para evitar congestionamento do sistema digital e aglomerações de pessoas nos pontos físicos.
Fiscal de Defesa Agropecuária da Unidade Local de Sanidade Agropecuária (Ulsa) de Paranavaí, Clara Lídia Dal Prá informa que a atualização cadastral substitui a imunização dos rebanhos contra a febre aftosa, já que o Paraná é considerado área livre da doença sem vacinação. Geralmente, a ação é realizada duas vezes por ano, mas em 2020, por causa da pandemia de Covid-19, a opção foi por campanha única, com início em maio.
Até quinta-feira (5), 76% dos cadastros tinham sido atualizados nos municípios do Noroeste do Paraná. O índice supera o estadual, que no mesmo período chegou a 60%. A meta é alcançar 100% dos animais, e só para se ter uma ideia, de acordo com levantamento da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), em 2019 as propriedades da região somavam quase 957 mil bovinos.
Clara Lídia Dal Prá destaca que a atualização dos cadastros deve incluir todos os animais da propriedade rural, independentemente da espécie: bois, búfalos, cabras, ovelhas, suínos, cavalos, jumentos, mulas, galinhas e peixes. Também é necessário recadastrar informações sobre o estabelecimento e o produtor.
Para fazer pela internet, basta acessar o site da Adapar (www.adapar.pr.gov.br). Se preferir presencialmente, o produtor de Paranavaí deve ir a uma Ulsa ou ao Sindicato Rural Patronal. Há municípios em que também é possível recadastrar na Secretaria de Agricultura.
TRANSPORTE – Apesar de a campanha se estender até 30 de novembro, desde o início deste mês a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) no Paraná está condicionada à atualização cadastral dos rebanhos. Significa que aqueles que ainda não fizeram o procedimento não podem transportar animais de qualquer espécie dentro do território estadual ou para outras localidades.
ÁREA LIVRE – Em agosto deste ano, o Paraná obteve reconhecimento nacional de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação, título que passou a vigorar em 1º de setembro. A medida faz com que o Estado se aproxime do reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).
Com isso, a expectativa é que a pecuária paranaense garanta a abertura de novos mercados e atraia investimentos não só para o setor, mas para outras cadeias produtivas, por exemplo, de suínos, peixe, frango e leite.

Recadastramento passo a passo

O site da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar – www.adapar.pr.gov.br) mostra o passo a passo para fazer a atualização de cadastro dos rebanhos. O procedimento pode ser online ou presencial. Confira a seguir:

Pela internet:

• No primeiro acesso ao site da Adapar, faça um cadastro. Basta informar o CPF e seguir o passo a passo para criar login e senha.
• Após o cadastro, o acesso será feito com o login e a senha criados.
• Selecione a propriedade que estiver com pendência de comprovação de rebanho, escolha a espécie e preencha com os dados pedidos.
• Clique em “Comprovar”.
• Repita o procedimento para cada uma das espécies com pendência.

Pessoalmente:

• Vá até um escritório da Adapar, ao Sindicato Rural ou à unidade de atendimento municipal e solicite o formulário de atualização.
• Preencha, assine e devolva no mesmo local onde retirou o documento.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.