ELEIÇÕES 2020

Começa nesta segunda-feira (31) o prazo para a realização de convenções partidárias destinadas a deliberar sobre coligações e escolher candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores. A data final é 16 de setembro. Em decorrência da pandemia de Covid-19, o calendário eleitoral de 2020 precisou ser alterado, por isso, a votação será realizada no dia 15 de novembro.

Em Paranavaí, oito partidos apresentaram nomes de pré-candidatos a prefeito, mas a maioria ainda não definiu quando será a reunião para oficializar as candidaturas e a parcerias. Por enquanto, apenas duas siglas têm datas marcadas para as convenções: PT (15 de setembro) e PSDB (16 de setembro). MDB, PDT, PL, Podemos, PP e PSC ainda não definiram.

O calendário estabelece 26 de setembro como último dia para os partidos políticos e as coligações apresentarem à Justiça Eleitoral o requerimento de registro dos candidatos. A partir dessa data, os juízes eleitorais responsáveis pela propaganda elaborarão o plano de mídia para definir como serão distribuídos os horários e a ordem de veiculação das inserções em rede.

As propagandas eleitorais terão início no dia 27 de setembro, data a partir da qual serão permitidas a divulgação paga na imprensa escrita e a reprodução na internet de imagens do jornal impresso. De acordo com a Justiça Eleitoral, serão permitidos até dez anúncios por veículo, em datas diversas, para cada candidato.

POSSIBILIDADES – Enquanto seguem o calendário eleitoral, os partidos políticos de Paranavaí costuram alianças para o pleito municipal de 15 de novembro. O cenário tem diferentes possibilidades, mas o que parece ser consenso é que pelo menos três dos oito nomes apresentados até agora só aguardam as convenções para serem referendados.

Entre eles está Carlos Henrique Rossato Gomes (KIQ), atual prefeito, um dos primeiros a manifestar interesse em concorrer, buscando a reeleição. Pré-candidato do Podemos, conta com o apoio do deputado estadual Tião Medeiros e deve agregar siglas como o PSL e o DEM. É possível que o PSDB também faça parte da coligação.

Cesar Alexandre é outro nome que desponta como provável cabeça de chapa. Destaque dentro do Partido dos Trabalhadores, o servidor público tem o apoio de uma base eleitoral, mas ainda não há confirmações sobre a composição com outras siglas. As negociações seguem. Ele é ex-vereador e foi candidato a prefeito em 2012.

Há grandes chances de que os também ex-vereadores Demerval Silvestre (PSC), produtor rural, e Eduardo Dal-Prá (PDT), empresário, e o atual vereador Lucas Barone (MDB) se juntem para o pleito. Os três pré-candidatos reúnem grupos de eleitores semelhantes e tendem a criar uma força de oposição ao atual prefeito.

Mas ainda existem dois nomes que podem se confirmar como candidatos a prefeito. O empresário João Roberto Viotto (PP) e o professor Joel Fonseca (PL) reafirmaram suas pré-candidaturas e seguem com as conversações com as demais siglas. Nos bastidores, há quem admita que Viotto poderá compor chapa com KIQ.

O PSDB apresentou três nomes: Luís Henrique Escarmanhani, Márcia Felipe e Waldur Trentini. Ainda assim, os tucanos podem não lançar candidatura própria para a chefia do Pode Executivo, se reunindo ao Podemos, do atual prefeito, para fortalecer a campanha de KIQ pela reeleição.

Quanto à aceitação aos nomes, é recorrente entre os agentes políticos de Paranavaí que os eleitores deverão fazer suas escolhas com base no histórico, nas propostas e na preparação que cada candidato apresentar. A polarização percebida em nível nacional entre bolsonarista e petistas terá pouco peso no cenário local.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.