Destaque

Rafael Benjamim Cargnin argumenta que o setor cumpria rigorosamente os protocolos de biossegurança para evitar a disseminação do coronvaírus

Segundo Rafael Benjamim Cargnin, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap), as medidas anunciadas pelo governo, especialmente o fechamento do comércio, são “um grande transtorno e um retrocesso para a nossa economia”.

“Compreendemos e nos sensibilizamos com o atual cenário da pandemia, mas a economia não deve se responsabilizar mais uma vez. O comércio, por exemplo, cumpria rigorosamente os protocolos de biossegurança. As atividades econômicas eram constantemente fiscalizadas e se esforçavam para cumprir todos os requisitos. A medida do Governo faz com que as pessoas fiquem sem ocupação e sem fiscalização, colocando num cenário pior”, avaliou.

Rafael Benjamim Cargnin diz que é preciso realizar campanhas de fomento para estimular vendas após reabertura do comércio

Cargnin informa que a Aciap seguirá atuando de forma firme e contundente junto à Administração Municipal, ao COE local e principalmente ao Governo Estadual para reabrir o comércio com segurança o quanto antes.

O dirigente lembra das dificuldades passadas pelos comerciantes em 2020 quando tiveram de fechar as portas. “Foi um grande prejuízo em que algumas empresas não conseguiram sobreviver. Lamentavelmente, assistiremos mais ‘mortes’ de empresas e empregos com essa decisão. Ainda, no ano passado as empresas foram assistidas com um pacote de benefícios do Governo Federal para diminuir os impactos negativos da pandemia”.

O presidente entende que o “governo está adotando uma metodologia que prejudica a economia para diminuir o fluxo de atendimento da pandemia. Nós temos expectativa de que o mesmo governo anuncie um pacote de medidas que possam diminuir os impactos que o empresário está tendo”.

Segundo ele, a Associação Comercial estuda realizar campanhas de fomento para estimular vendas após a reabertura.

A maior preocupação do presidente e que até o momento o governo não sinalizou nenhum tipo de ajuda que possa minimizar a situação dos empresários do setor. Ele garante que “buscará junto ao Governo do Estado um pacote de medidas que possa diminuir os impactos financeiros sobre as atividades econômicas”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.