Destaque

Para interromper a cadeia de transmissão do coronavírus é necessário manter o distanciamento, usar máscara e fazer a higienização constante das mãos

Não dá para falar em Carnaval sem pensar em reuniões festivas. Carnaval tem música, dança, brincadeira e diversão. É uma das manifestações populares mais importantes do calendário brasileiro, tradição que se estende por séculos e ganha novas roupagens a cada ano. Em 2021, no entanto, a pandemia de Covid-19 exige mudanças no comportamento. Profissionais de saúde fazem um apelo à população: não promova aglomerações.

Secretária de Saúde de Paranavaí, Andréia Vilar, destaca que eventos com mais de 25 pessoas estão proibidos

A secretária de Saúde de Paranavaí, Andréia Vilar, destaca que eventos com mais de 25 pessoas estão proibidos. Mesmo assim, é necessário adotar uma série de cuidados para reduzir os riscos de transmissão do coronavírus. A lista inclui manter o distanciamento e evitar, o máximo possível, contato com pessoas que não são do convívio diário.

De acordo com a chefe de Vigilância Epidemiológica da 14ª Regional de Saúde, Samira Silva, a entrada do vírus no organismo se dá por três canais: boca, nariz e olhos. Por isso, o uso de máscaras é indispensável, tanto quanto fazer a higienização das mãos constantemente.

O compartilhamento de copos, talheres e outros objetos pessoais também preocupa Samira Silva. Ela chama a atenção para o crescimento de jovens contaminados após utilizarem, juntos, bombas de tererê ou mangueiras de narguilés. A prática é muito comum em festas e reuniões de amigos, diz.

DENÚNCIAS – A chefe regional de Vigilância Epidemiológica destaca que casos de aglomerações de pessoas devem ser denunciados. Os encontros neste momento de pandemia colocam a saúde pública em risco, à medida que favorecem a proliferação do coronavírus. É preciso interromper a cadeia de transmissão.

As informações sobre festas clandestinas podem ser repassadas à Polícia Militar e à Guarda Municipal, inclusive de forma anônima. A orientação para os gestores de todo o Noroeste do Paraná é que intensifiquem a fiscalização. No caso específico de Paranavaí, as ações são resultado de um trabalho conjunto entre a Prefeitura, a Polícia Militar e o Ministério Público.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.