Destaque

Decisão foi tomada em primeira instância na Comarca de Paranavaí e afeta Antônio Valmir Trossini e Mancha da Saúde. Processo segue no Tribunal Regional Eleitoral

O PSB apresentou recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Curitiba, pedindo a revogação da sentença que determina a cassação dos diplomas de vereadores de Antônio Valmir Trossini e Luiz Aparecido da Silva (Mancha da Saúde). De acordo com a decisão tomada em primeira instância, na Comarca de Paranavaí, assinada pelo juiz Rodrigo Domingos de Masi, houve fraude à cota de gênero, que impõe a cota mínima de 30% das candidaturas para mulheres.

As ações foram protocoladas pelos diretórios municipais do PP e do MDB de Paranavaí. A primeira, acatada totalmente pela Justiça Eleitoral, pedia que os parlamentares eleitos tivessem os mandatos cassados. A outra, atendida parcialmente, apontava a necessidade de tornar inelegíveis todos os integrantes da chapa do PSB nas eleições municipais de 2020. A punição foi aplicada somente à candidata envolvida no processo.

Trata-se da ex-nora de Trossini, que teria colocado o nome à disposição do partido político somente para preencher os requisitos exigidos pela Justiça Eleitoral. De acordo com os apontamentos feitos por Domingos de Masi na sentença, a candidata fez campanha em prol de Trossini e não pediu votos para ela mesma. – O vereador foi eleito com 1.321 votos. Ela recebeu apenas três.

Defesa – Trossini afirmou que PP e MDB criaram situações que não correspondem com a verdade. “Estamos fazendo a contestação sobre muitos fatos que não existiram. Temos subsídios para ganhar o processo e provar que não houve fraude.” Ele garantiu que o PSB se mantém forte e que o grupo político permanece unido para enfrentar as dificuldades. Até que a decisão final seja tomada, ele e Mancha da Saúde seguem atuando na Câmara de Vereadores.

O secretário-geral do MDB de Paranavaí, Johnatan Douglas da Silva, informou que o partido ingressou com novo pedido, desta vez no TRE, para que a inelegibilidade sentenciada para Grazielle Cristina Martins de Almeida por oito anos se estenda aos demais integrantes da chapa do PSB. No entendimento do juiz de primeira instância, a penalidade “possui caráter personalíssimo”.

Composição – A saída de Trossini e Mancha da Saúde abriria espaço para a entrada de duas mulheres, Maria Clara (MDB) e Zenaide Borges (PP), já que os votos destinados aos candidatos do PSB seriam redistribuídos, seguindo as regras do quociente eleitoral proporcional de vereadores.

O PSB foi a sigla com maior número de votos nas eleições municipais de 2020, totalizando 6.714 2, e fez duas cadeiras na Câmara de Paranavaí, com Trossini e Mancha da Saúde. Foi seguido do PSL, com 5.849 votos, também elegendo dois nomes, e do PP, que recebeu 5.409, e tem um vereador. O MDB somou 2.485 confirmações nas urnas eletrônicas, mas não conseguiu levar representatividade para o Poder Legislativo.

Maria Clara seria o nome emedebista na Câmara de Vereadores. Disse que se a sentença se confirmar e ela ocupar a cadeira parlamentar, “colocarei em prática aquilo que todos ouviram na minha campanha: ‘não faço promessas, estou aqui pra representar a população, da forma mais transparente possível, sem acepção de pessoas’”. E continuou: “Quanto ao partido, serei a representação de forma atuante daquilo que temos como princípios. Estarei à disposição em todos os momentos, com o coração tranquilo”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.