Destaque

Noroeste do Paraná alcançou média de 85,95% de vacinação contra a gripe. Apesar de o índice se aproximar da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (95%), há municípios em que o percentual está muito abaixo, por isso, é necessário adotar estratégias de busca ativa da população que pertence aos grupos de risco, mas ainda não recebeu imunização. A campanha vai até 6 de junho e não há previsão de que o prazo seja prorrogado.

CAMPANHA DE IMUNIZAÇÃO vai até 6 de junho. Não há previsão de prorrogação do prazo.

Os municípios do Noroeste do Paraná alcançaram média de 85,95% de cobertura vacinal contra gripe. O índice leva em conta as doses aplicadas em pessoas de todos os grupos considerados de risco e coloca a região entre as que alcançaram melhores resultados durante a campanha de vacinação em todo o Estado.

Apesar de o resultado geral estar próximo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é 95%, há municípios com números abaixo dos 80%. É o caso de Alto Paraná (70,44%), Nova Londrina (78,43%), Nova Aliança do Ivaí (78,75%) e Inajá (79,23%).

Os municípios do Noroeste do Paraná alcançaram média de 85,95% de cobertura vacinal contra gripe. O índice leva em conta as doses aplicadas em pessoas de todos os grupos considerados de risco e coloca a região entre as que alcançaram melhores resultados durante a campanha de vacinação em todo o Estado.

Apesar de o resultado geral estar próximo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é 95%, há municípios com números abaixo dos 80%. É o caso de Alto Paraná (70,44%), Nova Londrina (78,43%), Nova Aliança do Ivaí (78,75%) e Inajá (79,23%).

Chefe de Vigilância Epidemiológica da 14ª Regional de Saúde, Samira Silva apontou outra preocupação: a cobertura vacinal em alguns grupos de risco. Entre os adultos de 55 a 59 anos de idade, o alcance é de 47,19%. Em relação à população infantil, o índice também é considerado baixo, 58,13%.

Apenas 12 municípios ultrapassaram 50% de imunização nos adultos: Guairaçá, Itaúna do Sul, Jardim Olinda, Loanda, Paraíso do Norte, Paranapoema, Planaltina do Paraná, Porto Rico, Querência do Norte, Santa Isabel do Ivaí, Santo Antônio do Caiuá e São Pedro do Paraná. A situação mais grave é de Alto Paraná, onde 19,59% das pessoas com 55 a 59 anos foram vacinadas.

No grupo das crianças, sete municípios ainda não atingiram o índice de 50%: Alto Paraná, Cruzeiro do Sul, Inajá, Nova Aliança do Ivaí, Nova Londrina, Santa Isabel do Ivaí e Terra Rica. Novamente, o caso mais emblemático é o de Alto Paraná, que imunizou 313 das mais de 1.000 crianças previstas, alcançando 31,27%.

Por outro lado, a maioria ultrapassou o índice mínimo (95%) no grupo dos trabalhadores de saúde, apenas Santa Isabel do Ivaí fi cou abaixo, chegando a 83,33%. Entre os idosos, o alcance vacinal também foi positivo, fi cando acima da meta em todos os municípios do Noroeste do Paraná.

De acordo com Samira Silva, é preciso que os gestores adotem estratégias de busca ativa para alcançar a população que ainda não foi vacinada contra a gripe. Ela sugeriu visitas domiciliares e telefonemas. Disse, também, que a tática de drive thru funcionou em vários municípios e pode ser utilizada para ampliar o número de pessoas imunizadas.

A chefe de Vigilância Epidemiológica apontou a importância de alcançar homogeneidade na vacinação dos moradores que pertencem aos grupos de risco “O ideal é atingir a cobertura em todas as populações, para reduzir a circulação viral.” Além disso, essas pessoas incluídas na campanha estão mais suscetíveis às complicações de saúde causadas pela gripe.

A vacina protege contra três tipos de vírus: A (H1N1), B e A (H3N2), mas não tem efeito sobre o coronavírus, causador da Covid-19. A campanha se estende até 6 de junho e não há previsão de prorrogação do prazo. Pessoas de qualquer grupo de risco podem buscar a imunização.

Podem ser vacinados: crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, pessoas acima de 55 anos de idade, gestantes, mulheres que deram à luz há até 45 dias (puérperas), pessoas com deficiência, doentes crônicos, professores, profissionais de saúde e trabalhadores das forças de segurança e salvamento.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.