Destaque

Conhecida como paralisia infantil, doença pode provocar uma série de sequelas, inclusive a perda de movimentos dos membros inferiores

Popularmente conhecida como paralisia infantil, a poliomielite pode atingir o sistema nervoso e comprometer o movimento dos membros, provocando alterações motoras na criança. O Brasil conseguiu o certificado de eliminação da doença em 1994, mas ainda há países com circulação viral. Significa que o risco de reintrodução do poliovírus em território nacional existe.

A doença é altamente contagiosa e a prevenção se dá pela vacinação. A campanha nacional destinada a crianças com menos de cinco anos de idade termina no dia 30 de outubro e a meta é imunizar pelo menos 95% da população nessa faixa etária. No Noroeste do Paraná, o índice médio de alcance vacinal é 75%.

Levantamento feito pela 14ª Regional de Saúde mostra que apenas seis municípios ultrapassaram o objetivo: Santo Antônio do Caiuá, Jardim Olinda, Santa Mônica, São Carlos do Ivaí, Itaúna do Sul e Guairaçá. Outros dois chegaram a percentuais bem próximos: São João do Caiuá e Planaltina do Paraná.

Chefe regional de Vigilância Epidemiológica, Samira Silva destaca que a altar cobertura é resultado das estratégias adotadas em cada município, por exemplo, busca ativa dos faltosos, horários estendidos de atendimento, atuação efetiva das equipes de saúde e ampla divulgação da campanha.

Mas ainda há localidades em que o alcance vacinal está muito abaixo da meta estipulada pelo Ministério da Saúde. É o caso de Diamante do Norte, Mirador, Loanda, Amaporã, Santa Cruz de Monte Castelo, Terra Rica e Paranavaí. Em todos esses municípios, o índice de imunização é menor do que 70%.

A orientação da chefe de Vigilância Epidemiológica é que as ações sejam intensificadas. É preciso “fazer busca ativa casa a casa, como se fosse um pente fino, vacinando todas as crianças que não compareceram à UBS”, explica. O atendimento em horário diferenciado também é importante, porque facilita que os responsáveis levem as crianças para serem imunizadas.

CONSCIENTIZAÇÃO – Samira Silva reitera a necessidade de conscientizar os pais sobre a importância da vacinação. Muitos estão com medo de levar as crianças às unidades de saúde por causa da pandemia de Covid-19. “Porém, vale lembrar que estamos tomando todas as medidas protetivas.”

As principais sequelas causadas pela poliomielite são dores nas articulações, pé torto, crescimento diferente das pernas, osteoporose, dificuldade na fala, atrofia muscular, hipersensibilidade ao toque e paralisia dos membros inferiores e dos músculos da fala e da deglutição. “Não existe tratamento específico para essa doença. Então, é muito melhor prevenir com apenas duas gotinhas [da vacina]”, assegura a chefe de Vigilância Epidemiológica.

ÍNDICES – A meta nos municípios do Noroeste do Paraná é garantir a imunização de pelo menos 13.899 crianças com menos de cinco anos de idade. Até a última atualização feita pela 14ª Regional de Saúde, na segunda-feira (26), 10.422 pessoas tinham sido vacinadas contra a pólio, ou seja, 75% do público-alvo. É o segundo melhor resultado do Paraná, atrás apenas da região de Irati, com 76%.

Entre as crianças na faixa etária de um ano, 70,22% foram imunizadas. Na população de dois anos, o índice médio chegou a 78,57%. No grupo de crianças de três anos, 76,35%. E entre as crianças na faixa etária de quatro anos, o alcance vacinal é de 75,3%.

Vacinação contra a pólio: índices alcançados no Noroeste do Paraná

Os números abaixo foram atualizados na última segunda-feira (26). Em alguns municípios, os índices ultrapassam 100%, já que o cálculo de doses a serem aplicadas é feito com base na estimativa populacional, e pode haver diferença entre o que é esperado e a quantidade de doses efetivamente aplicadas.

Alto Paraná: 78,85%

Amaporã: 66,37%

Cruzeiro do Sul: 81,2%

Diamante do Norte: 58,72%

Guairaçá: 97,06%

Inajá: 71,32%

Itaúna do Sul: 100,53%

Jardim Olinda: 103,08%

Loanda: 62,21%

Marilena: 75,52%

Mirador: 61,64%

Nova Aliança do Ivaí: 67,9%

Nova Londrina: 76,76%

Paraíso do Norte: 85,84%

Paranapoema: 84,76%

Paranavaí: 68,26%

Planaltina do Paraná: 90,6%

Porto Rico: 80,16%

Querência do Norte: 85,84%

Santa Cruz de Monte Castelo: 66,67%

Santa Isabel do Ivaí: 70,23%

Santa Mônica: 102,43%

Santo Antônio do Caiuá: 104,39%

São Carlos do Ivaí: 101,2%

São João do Caiuá: 92,04%

São Pedro do Paraná: 83,46%

Tamboara: 80,26%

Terra Rica: 68,24%

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.