Destaque

O tabagismo e o consumo regular de bebidas alcoólicas estão entre os principais fatores para o câncer de boca. O tumor é o quarto mais frequente entre os homens da região Sudeste do país e a maioria dos casos ainda é diagnosticada em estágios avançados, segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer).

“Qualquer produto derivado do tabaco aumenta os riscos de desenvolver esse tumor oncológico. Cigarro de palha, narguilé, charuto ou cachimbos devem ser evitados”, recomenda o oncologista Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), da Uninove e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal).

O pesquisador adiciona ainda o consumo regular de bebidas alcoólicas, exposição ao sol sem proteção e excesso de gordura corporal como outros fatores de risco do câncer de boca. As infecções pelo vírus HPV também estão relacionadas a alguns casos de câncer e orofaringe.

“Esse é um tumor que pode ser assintomático no início. Porém, alguns pacientes podem apresentar feridas que não cicatrizam por mais de 15 dias e manchas avermelhadas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas”, explica o Dr. Ramon de Mello. Nódulos no pescoço e rouquidão persistentes também são sintomas dessa fase.

Dificuldades de engolir e mastigação são sintomas de uma fase mais avançada. O paciente tem ainda dificuldade de engolir, de movimentar a língua e incômodo na garganta. “A visita regular ao dentista ou mesmo ao médico pode ajudar o diagnóstico precoce, que vai permitir uma melhor abordagem no tratamento”, afirma o pesquisador da Unifesp.

SOBRE – Oncologista clínico e professor adjunto de Cancerologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Câncer de Pulmão no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é membro do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.