Destaque

Ao avaliar a doação de três aparelhos de TV para a UTI Covid da Santa Casa de Paranavaí, a médica responsável pela ala, a infectologista Gislaine Erédia, disse que os televisores são “muito importantes” e agilizam a recuperação dos pacientes, pois permite que eles “se distraiam um pouco e esqueça da doença”. E acrescenta: “É como se fosse uma companhia, uma vez que ele fica sozinho, sem família, fica sem ninguém. Então é um modo dele esquecer (a doença) e o tempo passar mais rápido”.

Os aparelhos foram entregues na tarde desta sexta-feira ao hospital. A iniciativa da doação foi do empresário Maurício Gehlen e sua esposa Márcia e dela participaram Lúcia Helena Esper Nicoletti, Beatriz Gehlen, Instituto Maurício Gehlen e a Podium Alimentos.

Para Maurício Gehlen o gesto foi uma forma de reconhecer o trabalho da Santa Casa para a sociedade. “É o mínimo que podemos fazer para demonstrar nossa gratidão e com algo que vai servir para a comunidade, que vai contribuir para o tratamento dos pacientes da Ala Covid. Nós que, felizmente, não contraímos a doença e estamos com saúde temos que ter este olhar de fazer um pouquinho de cada um de nós para o bem dessas pessoas que estão atravessando este momento tão difícil”, explicou.

O empresário enfatizou que espera com a doação, ajudar de alguma forma aliviar o trabalho “que estes profissionais maravilhosos aqui da Santa Casa estão fazendo. Eles não querem TV, eles querem para as pessoas que estão lá naquele setor passando por aquele momento, sem ter nada para prestar atenção, sem ter uma distração. E a TV vai distraí-los e amenizar a dor física e emocional que estão sentindo”, disse ele que estava acompanhado da esposa Márcia e da irmã Beatriz.

Ao comentar a doação, o presidente da Santa Casa, Renato Augusto Platz Guimarães, realçou a importância da participação da sociedade para a sobrevivência do hospital. “Estamos muito felizes e gratos por esta iniciativa do Maurício, que mais uma vez demonstra seu alto espírito de solidariedade com aqueles que enfrentam este momento dramático. Esta não é a primeira vez que ele e sua família ajudam o hospital. O Maurício é nosso diretor e sabe bem as dificuldades que enfrentamos para manter as portas do hospital abertas e oferecendo um atendimento digno à população. Que o exemplo dele seja seguido por outras pessoas”, pediu o presidente, que estava acompanhado no ato do diretor-geral Héracles Alencar Arrais, os gerentes Marcelo Cripa (financeiro) e Marily Vasconcelos (assistencial) e a infectologista Gislaine Erédia.

As TVs serão instaladas na UTI Covid, onde os pacientes, segundo os médicos, mais do que em qualquer outro setor, perdem noção de espaço e tempo. “Depois que ele entra aqui, ele não sabe que dia é, que horas são. E com a televisão ele vai se atualizando, porque é um costume de casa. Geralmente as pessoas assistem TV e sabem o horário dos programas”, diz a infectologista Erédia. “Isto agiliza no tratamento porque o paciente esquece um pouco da doença e o tempo passa mais rápido até que o paciente se recupera.  É um apoio muito grande (para o restabelecimento do paciente), porque se sentir sozinho, sem poder estar com um celular, sem ter um computador, te deixa longe do mundo”, acrescentou.

Esta situação se agrava, porque na UTI Covid os pacientes não podem receber nenhuma visita para evitar a transmissão da doença. “Os pacientes ficam sem visitas e literalmente com pessoas estranhas, que são os enfermeiros e médicos. E a TV devolve um pouco deste ambiente familiar”, finaliza a responsável pela Ala Covid da Santa Casa de Paranavaí.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.