Cotidiano

Passado o impacto inicial da pandemia do novo coronavírus, a Covid-19, a Associação de Produtores Irrigantes do Paraná (Apip) está retornando as atividades. Criada em janeiro deste ano, com o objetivo de representar e defender os interesses dos produtores irrigantes e difundir esta tecnologia em território paranaense, a Associação paralisou as atividades em meados de março para evitar aglomerações. Agora os trabalhos terão sequência.

Ao anunciar a retomada das atividades, nesta segunda-feira, dia 25, o presidente da Apip, Demerval Silvestre, reafirmou que a entidade vai perseguir seus objetivos, criando um novo modelo para o agronegócio estadual. “Vamos seguir o modelo exitoso adotado pelos produtores rurais de Paranapanema (SP), que se organizaram na Cooperativa Holambra 2. A região é um exemplo de organização, é a segunda maior do país com lavouras irrigadas, sua A população ocupada no agronegócio se manteve praticamente estável na comparação entre os primeiros trimestres de 2019 e 2020, segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. O total no período foi de 17,97 milhões de pessoas, baixa, provavelmente não significativa estatisticamente, de ligeiro 0,53% no período. No Brasil como um todo, o número de ocupados teve crescimento ainda menor no mesmo período, de 0,39%. Dessa forma, a participação do agronegócio no mercado de trabalho brasileiro se manteve praticamente estável, passando de 19,66% para 19,48% entre os primeiros trimestres de 2019 e 2020. Segundo pesquisadores do Cepea, o número de ocupados aumentou nos segmentos industriais (insumos e agroindústria), mas diminuiu no segmento primário e ficou estável nos agrosserviços. Há uma tendência de queda no número de ocupados no agronegócio, influenciada pelo segmento primário, que recuou 1,97% na comparação entre o primeiro trimestre de 2020 e o mesmo período de 2019. Esse resultado “dentro da porteira” é reflexo da redução de 2,75% (143 mil pessoas) nas atividades agrícolas, uma vez que houve apenas ligeira queda de 0,61% (18 mil pessoas) nas atividades pecuárias. PERFIL – Em relação ao nível médio de instrução, dados do O Plenário da Assembleia Legislativa começa votar nesta terça-feira (26) o projeto de lei que estabelece regras para a volta do funcionamento dos estabelecimento que servem buffet por quilo em todo o território do Paraná. A autorização, caso seja aprovada, vale para restaurantes, padarias e lanchonetes, seguindo normas específicas de higiene durante o período de pandemia. A iniciativa, dos deputados Fernando Francischini e Alexandre Curi, é uma das bandeiras da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar). A entidade, em conjunto com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel Paraná), ofício aos deputados defendendo a aprovação da matéria. “Este projeto é seguro e contém itens que melhoram a situação ora em prática em alguns municípios. Contamos com sua apreciação para aprovação”, diz a manifestação. Apesar da gradual reabertura, alguns setores ainda estão à mercê dos planos federais e estaduais de retomada, sendo um desses os restaurantes de autosserviço. Muitos destes estabelecimentos, alertam os deputados, correm o risco de não mais existir ao fi nal das restrições impostas pelo avanço do coronavírus. “É uma questão de saúde. Mas também uma forma de mantermos nossos estabelecimentos abertos, que envolvem em Curitiba mais de 60 mil empregos diretos”, informam as entidades. Em Curitiba existem atualmente mais de 12 mil estabelecimentos A partir da próxima quinta-feira, dia 28 de maio, começam as apresentações da última semana de programação da 1ª edição do Festival Cultura em Casa. O Festival, idealizado e organizado pela Fundação Cultural de Paranavaí, tem uma programação semanal de conteúdos audiovisuais, que são exibidos nas páginas da Cultura do município. Nesta quarta semana de programação, o Festival Cultura em Casa terá apresentações de música, história e literatura. Todos os vídeos e lives podem ser acompanhados pela página do Facebook e pelo Instagram da Fundação Cultural de Paranavaí. Os vídeos serão postados sempre a partir das 8h e as Lives ocorrerão de acordo com o dia da semana. Às quintas e sextas-feiras, as lives serão realizadas às 19h, aos sábados às 18h e aos domingos às 17h. Confira a programação da quarta semana do Festival Cultura em Casa e as sinopses dos trabalhos que serão apresentados: QUARTA SEMANA – de 28 a 31/05 28/05 (quinta-feira) – MINICURSO/MÚSICA: “Leitura Musical: Descomplicando a Partitura”, vídeo a partir das 8h e live às 19h O músico e maestro Luciano Torres, em seu vídeo apresentará um minicurso com uma abordagem bem lúdica de teoria e prática musical, com o objetivo de descomplicar a leitura de uma partitura. Na live uma recapitulação do conteúdo, com interatividade com Cepea mostram que houve redução do número de trabalhadores sem instrução ou com ensino fundamental (completo ou não) e aumento do número de trabalhadores com ensino médio ou superior (completo ou não). Esses movimentos refl etem, entre outros fatores, o processo de modernização da produção agropecuária, que impõe o aumento gradativo da mão de obra qualifi cada, e uma mudança na composição da mão de obra do setor, com elevações de representatividade das ocupações industriais e de serviços em comparação com as agropecuárias. Quando analisadas a posição na ocupação e a categoria do emprego dos trabalhadores do agronegócio, entre os primeiros trimestres de 2019 e de 2020, houve aumento na formalização, com crescimento do número de empregos com carteira assinada e leve redução do número de empregos sem carteira assinada. Quanto à variação do número de ocupações de acordo com o gênero, registrou-se queda para homens e mulheres, sem mudança expressiva, portanto, na taxa de participação feminina no setor. RENDIMENTOS – Para as pessoas ocupadas no agronegócio, entre os primeiros trimestres de 2019 e 2020, houve praticamente estabilidade real dos rendimentos médios mensais habituais dos empregados e aumentos reais de 1,26% para os trabalhadores por conta própria e de expressivos 7,9% para os empregadores. que fornecem o serviço de buffet por quilo, informam a Abrabar e Abrasel. “Com a pandemia, vimos nosso faturamento cair mais de 70%. Os clientes que ainda nos visitam gostam de se servir, escolhem o que querem e fazem os seus pratos”. CONTEXTO – O projeto determina a utilização de máscaras e luvas descartáveis enquanto os clientes se servem, além de reforçar os demais itens quanto a higiene, distanciamento entre pessoas e mesas, utilização de álcool gel e outros cuidados fundamentais nesse momento de pandemia. O governo do estado havia autorizado apenas a oferta de pratos prontos, os chamados pratos feitos. A nova lei, contudo, lista uma série de cuidados para a retomada deste outro tipo de serviço. Caso o consumidor não possua os equipamentos de proteção, o estabelecimento deve fornecer sem custos. INFORMAÇÃO – Também será necessária a instalação na entrada do estabelecimento e no início do buffet de placas de orientação sobre os cuidados higiênicos, álcool gel, bem como controle do distanciamento das filas e do posicionamento das mesas a 1,5 metros de distância uma das outras. Todos os utensílios utilizados no serviço como colheres, espátulas e conchas, por exemplo, devem ser higienizados a cada 30 minuto. Em caso de descumprimento o estabelecimento estará sujeito à multa de R$ 5,3 mil (equivalente a 50 UPF/ PR Unidade Padrão Fiscal do Estado do Paraná) e interdição. os participantes por meio das mensagens. 29/05 (sexta-feira) – HISTÓRIA E LITERATURA: “História e Criação Artística”, vídeo a partir das 8h e live às 19h O escritor e professor Felipe Figueira apresenta em seu vídeo uma aula onde explora um pouco da história de alguns países da América do Sul, como Chile, Peru, Venezuela, Guiana, Uruguai e, claro, Brasil. Na live a importância da cultura histórica para a criação artística, trazendo diversos exemplos de artistas (poetas, contistas, cineastas), também exibirá vários objetos trazidos dos países explorados no vídeo gravado, tais como moedas, miniaturas de cidades, calendário inca, artesanato local, além de ler poesias ao longo de toda apresentação. 30/05 (sábado) – MÚSICA: “Tonho Marques Garrafão”, vídeo a partir das 8h e live às 18h O músico Antônio Marques em parceria com seu filho Vinícius apresentará, em seu vídeo e live, músicas autorais e outras canções populares como “Asa Branca” e “Mocinhas da Cidade”. Também promete fazer versos de improviso rimando com os nomes das pessoas que comentarem na live. 31/05 (domingo) – MÚSICA: “Música, encantos e lembranças”, vídeo a partir das 8h e live às 17h O músico Douglas Delatore apresenta em seu vídeo e live, com voz, violão e piano, um repertório de estilos variado que faz parte do acervo e história da música popular brasileira. produtividade está muito acima da média nacional e benefi cia produtores e trabalhadores rurais”, afirma ele.

Silvestre disse que, no que se refere à representatividade do setor, em fevereiro, ele e o vice- -presidente Ivo Pierin Júnior estiveram na Assembleia Legislativa do Paraná e obtiveram apoio dos deputados estaduais para a iniciativa. Citou, ainda, que algumas políticas públicas só são concedidas aos produtores organizados em associações ou cooperativas e por isso o setor deve estar unido em torno de entidades representativas.

A última atividade da Apip foi realizada em março, durante a Exposição Feira Agropecuária e Industrial de Paranavaí (ExpoParanavaí), quando foi realizada uma assembleia e, entre outras atividades, foram aprovados os valores das mensalidades para diferentes categorias: técnicos, produtores e pessoas jurídicas.

“Agora vamos concluir o processo de legalização da entidade e começar a prestação de serviços. Uma das metas, que já foi aprovada, é a realização de um grande seminário de irrigação, com palestras voltadas para a área técnica e também as formas de financiamento dos projetos”, informa o secretário- -executivo da Associação, Claodemir Grolli. Segundo ele, em razão da pandemia ainda não é possível marcar datas. “Mas já estamos vendo possíveis palestrantes”, acrescentou.

A Apip é o desdobramento do Programa Estadual de Irrigação (Irriga Paraná), criado em setembro do ano passado pelo Governo do Estado, em atendimento a um pedido apresentado pelo Sindicato Rural de Paranavaí e Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, com o apoio da Sociedade Civil Organizada de Paranavaí e Região. A reivindicação foi feita durante a ExpoParanavaí de 2019, apontando as possibilidades de crescimento do agronegócio paranaense com a adoção da irrigação pelos agropecuaristas do Estado. O pedido foi acatado pelo governador Ratinho Júnior, vice-governador Darci Piana e o secretário estadual de Agricultura, Norberto Ortigara.

AVANÇO NA REGIÃO – Para a região do Arenito Caiuá, que envolve as microrregiões de Paranavaí, Umuarama e Cianorte e cerca de 100 municípios, a irrigação pode viabilizar a plantio de grãos, que acontece ainda de forma muito incipiente e pouco signifi cativo para a economia regional e estadual. “Com a irrigação, o Paraná tem condições de passar de segundo para maior produtor de grãos do Brasil, ultrapassando o Mato Grosso”, sentencia Demerval Silvestre.

O vice-presidente da Apip, Ivo Pierin Júnior, que também está envolvido na tarefa da retomada das atividades da entidade, lembra que o Paraná ainda engatinha quando o assunto é lavoura irrigada. Segundo ele, apenas 0,7% da agricultura paranaense é irrigada. Na região, a área irrigada é pequena. Existem cerca de 15 mil hectares de várzeas as margens do Rio Ivaí e Rio Paraná, com plantações de arroz, e há pequenos núcleos de lavouras de grãos e de laranja irrigadas.

CHUVAS – Há dois anos o Paraná está com chuvas irregulares, que em alguns momentos se caracterizaram como forte estiagem. Na região, houve uma perda na cadeia produtiva da laranja de cerca de R$ 300 milhões; a colheita da mandioca teve que ser adiada e as pastagens perderam força. “Me pergunto o seguinte: não vamos tirar nenhuma lição disso? A agropecuária vai continuar sendo castigada pelas chuvas irregulares e ficaremos de braços cruzados? Quando foi pedido o programa de irrigação ao Governo do Estado era justamente para reagir a esta situação. Por isso, vamos retomar os trabalhos da Apip com a expectativa de que, daqui alguns poucos anos, esta região e o agronegócio paranaense estejam mais fortalecidos”, diz Pierin Júnior.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.