Economia Ativa

O Sindicato dos Empregados no Comércio de Paranavaí (Sindoscom) e o Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, Mercados, Minimercados, Supermercados e Hipermercados do Estado do Paraná (Sindimercados) fecharam o acordo coletivo que garantirá a reposição salarial dos trabalhadores. As negociações foram concluídas na semana passada.

A convenção coletiva foi assinada pela presidente do Sindoscom, Leila Vanda Aguiar, e pelo vice-presidente do Sindimercados, Carlos Alberto Tavares Cardoso. O documento prevê o reajuste dos vencimentos desde 2017, com início do pagamento a partir do quinto dia útil de setembro.

A reposição para os trabalhadores ativos poderá ser feita em até três vezes. O prazo máximo é o quinto dia útil de novembro. No caso das pessoas que já foram desligadas, o pagamento deverá ser feito em parcela única em até 90 dias. “Os empregados que saíram têm direito a receber o que ficou pendente, proporcionalmente ao tempo em que estiveram na empresa”, disse Leila.

O último acordo coletivo referente aos mercados de Paranavaí teve vigência até maio de 2017. Desde então, os empregadores estavam aplicando reajustes salariais por conta própria e deverão quitar a diferença de valores.

Com a assinatura do documento, os índices foram definidos da seguinte forma: 5% para o período de 1º de junho de 2017 a 31 de maio de 2018; 3% de 1º de junho de 2018 a 31 de maio de 2019; e 5% de 1º de junho de 2019 a 31 de maio de 2020. A advogada do Sindoscom, Jaqueline Jade dos Santos Pedro, informou que o próximo índice deverá ser negociado após a pandemia.

Graças à reposição, o piso salarial dos funcionários de mercados será equiparado ao dos empregados do comércio varejista. As categorias que recebiam R$ 1.269,40 (offce-boys, empacotadores, arrumadeiras, cobradores e profissionais de copa e cozinha) passarão a ganhar R$ 1.358,28. Para os demais grupos, o valor subirá de R$ 1.337,46 para R$ 1.404,33.

Para receber, é necessário que o trabalhador informe ao empregador o número da conta bancária para que o empregador faça o depósito do valor devido. De acordo com a presidente do Sindoscom, a recomposição dos salários aumentará o poder de compra desses trabalhadores, o que resultará em incremento na economia local.

Leila destacou que a definição da convenção coletiva foi possível porque grande parte dos funcionários de mercados buscou a representatividade do Sindoscom, o que não acontecia há anos. Por isso, destacou que “é importante manter o sindicato atuante”. O acordo com a entidade que representa os patrões foi considerado “uma grande vitória para toda a categoria”.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.