Economia
Segundo estudo da Serasa Experian, 5,434 milhões de micro e pequenas empresas estavam inadimplentes em maio de 2019, um aumento de 6,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior e novo recorde da série histórica. Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, este resultado preocupa porque é comparado com o mesmo período em que aconteceu a greve dos caminhoneiros no ano passado. “Um crescimento de 6,1% um ano depois da greve, que teve grande impacto na economia, demonstra a estagnação econômica dos últimos 12 meses, que impacta diretamente no fluxo de caixa e na receita da companhia”, diz. 
Na comparação com abril de 2019, quando 5,405 milhões de micro e pequenos empreendimentos estavam com dívidas atrasadas e negativadas, também foi identificado uma leve alta de 0,5%.
O setor de Serviços teve o maior crescimento na relação anual (10,5%), seguido pela Indústria (2,4%) e pelo Comércio (2,2%). 
Por estado, o Rio de Janeiro teve o maior aumento (11,8%) no número de micro e pequenas empresas inadimplentes, no comparativo ano a ano. Na sequência está o Amapá, com 11,6%. Três Estados apresentaram queda: Alagoas (-5,4%), Rio Grande do Norte (-4,0%) e Piauí (-3,2%). 
EMPRESAS DE TODOS OS PORTES – Em maio de 2019, o número total de empresas inadimplentes de todos os portes (micro, pequena, média e grande) foi de 5,727 milhões, um aumento de 0,7% em relação ao resultado verificado em abril do mesmo ano (5,689). No comparativo anual, o crescimento foi de 4,5%. As micro e pequenas empresas representam 95% do montante total.
Acompanhar suas finanças de perto ajuda a evitar a inadimplência
É fundamental que os empresários cuidem da saúde financeira de seus negócios, analisando e revisando as contas constantemente. Alguns dos pontos principais que devem fazer parte desta análise são mensuração de indicadores-chave, fluxo de caixa e monitoramento de dívidas. 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.