Amadorismo
Um dos poucos torcedores que compareceram no Ginásio de Esportes Lacerda Braga na quarta-feira, 10, para assistir a goleada sofrida pelo São Lucas/Cresol, para Marechal Rondon, por 6 a 0, pelo Paranaense de Futsal da Chave Ouro, foi o ex-atleta do time paranavaiense Max Weber.
Max começou na cidade, onde jogou até os 25 anos. Ele revela tristeza com a situação em que o time se encontra no Paranaense, último colocado com apenas quatro pontos ganhos e na lanterna. O São Lucas em 15 jogos que participou até agora, venceu um e empatou outro, perdendo 13 jogos. É serio candidato ao rebaixamento.
“É grande o risco de cair este ano, após 39 anos na Chave Ouro, eu sou um ferrenho torcedor do time, sempre que estou em férias venho prestigiar, vejo que este ano está difícil. A Chave Ouro tem seis equipes disputando a Liga Nacional e outras que estão investindo muito para ficar entre os oito que participarão da segunda fase”.
E continua ele: “Aqui em Paranavaí o investimento é pouco. O Nivaldo tem trabalhado para fazer um bom time, mas é complicado, hoje deu para notar a diferença no nível de elenco” falou Max.
Max, hoje com 35 anos, está há 10 anos na equipe FK Era Pack, de
Chrudim (20 mil habitantes e a 100 km de Praga), na República Tcheca. 
O Campeonato da República Theca conta com 12 equipes. Na Liga UEFA o time de Max tem ficado entre os seis ou sete melhores colocados. Ele fica por mais dois anos no FK Era Pack. 
Na terça-feira, 16, o São Lucas recebe a equipe de São José dos Pinhais.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.