Amadorismo
Após o jogo contra Campo Mourão no sábado, 21, em Paranavaí, onde o São Lucas/Cresol sofreu nova goleada, desta vez imposta por Campo Mourão, 5 a 1, o ex-atleta e presidente da Associação Atlética São Lucas, Edson Gomes de Oliveira, falou com a reportagem do Diário do Noroeste.
“Depois de 39 anos disputando a principal competição do Paraná, é difícil para nós que começamos no São Lucas aceitar facilmente este descenso. Hoje é um dia triste para mim, vamos ver se continuamos”, avaliou. 
Ele ainda cobrou apoio das autoridades do município e da classe empresarial. Cita que o futsal sempre levou o nome de Paranavaí por onde atuou. “Quando saímos sempre é dito Paranavaí, nunca São Lucas. Vamos estudar em conjunto com o Nivaldo Mazzin se vale a pena o São Lucas disputar a Série Prata e se teremos a colaboração de todos”, condicionou.
Embora manifeste dúvida quanto ao futuro, o ex-atleta do futsal paranaviaense também demonstra confiança na permanência, condicionada, porém, ao equilíbrio financeiro.
Edson também cobrou a participação da comunidade: “Aqui o torcedor vai ao ginásio quando a equipe está em alta. São poucos que acompanham o time quando está em baixa”. E por fim, uma ponta de esperança: “Esperamos que o São Lucas não morra e que em 2021 volte para a Série Ouro”.
REUNIÃO – O São Lucas/Cresol após a reunião realizada em Curitiba nesta semana na Federação Paranaense de Futsal perdeu a esperança de permanecer na Chave Ouro em 2020.
A chance de continuar na principal divisão estadual viria com a punição imposta às equipes Foz Cataratas e Cascavel, que estão participando paralelamente da Liga Futsal Paraná. A Federação puniu e multou as equipes, agora se estuda juridicamente o cancelamento. Federação e Liga chegaram a um acordo e a nova competição que teve algumas rodadas já disputas continuará, mas com arbitragem escalada pela Federação. Em novembro haverá nova reunião para definir a competição de 2020.
FIM DA ESPERANÇA – Valter Luiz Araújo, 61 anos, é de Paranavaí. Atualmente faz parte da Comissão Técnica do São Lucas. Foi o primeiro técnico da equipe Farmácia Brasília em 1980, que depois se tornou Farmácia São Lucas.
Em entrevista ao DN, Valter disse que tinha esperança em uma reviravolta, o que acabou não acontecendo. Ele lembrou a perda de atletas experientes por conta de diversos fatores, o que fotrçou a disputar com os jovens do Sub-20. “Nossos garotos são bons, tanto que a equipe está indo para quarta fase da categoria”.
Os torcedores Antônio Aleixo Neto e André Ferreira foram prestigiar o último jogo do São Lucas na Chave Ouro. Antônio (85 anos, sapateiro desde os 15 anos, nasceu em Jardim, no Ceará), chegou a Paranavaí em 1960. Mesmo sempre presente no Lacerdinha com a sua tradicional almofada, batendo contra o cimento para animar a torcida e comemorar os gols, não acreditava que a equipe já estava rebaixada. Mas, afirmou que se jogar direitinho em 2020, volta em 2021.
André Ferreira (35 anos, professor de Badminton), não perdeu um jogo da equipe em Paranavaí e já jogou nas categorias de base do São Lucas). Como torcedor, explica, ninguém quer ver a equipe cair de divisão. “O São Lucas vem ha vários anos batendo na trave para cair. Creio que está na hora de pensar um novo projeto, porque hoje na Chave Ouro não cabe esse time de projeto que temos. Temos uma equipe Sub-20 muito boa, com algumas peças mais cascudas temos chances de voltar em 2021”, entende.
As equipes classificadas para a disputa dos play-offs são: Pato Futsal, Marechal Rondon, Campo Mourão, Marreco, Cascavel, Foz Cataratas, Umuarama e Dois Vizinhos; Foram rebaixadas para a Chave Prata: Matelândia e São Lucas/Cresol/Paranavaí.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.