Local
Sancionada no início do mês, a Lei que promoveu mudanças no chamado Cadastro Positivo vai dar mais segurança ao empresário na busca de novos clientes e até evitar que ele perca vendas. 
A informação foi repassada durante o Encontro Empresarial realizado ontem de manhã pela Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap). Estes encontros acontecem sempre na última quinta-feira do mês.
Segundo explicação do gerente-executivo da entidade, Carlos Henrique (Kaká) Scarabelli, a nova lei tem 180 dias para entrar em vigor. Com ela, o Banco Central vai compartilhar com os quatro birôs de crédito que operam no país as informações de todos os CPFs e CNPJs. 
O monitoramento vai apontar se a pessoa paga em dia as contas públicas (água, luz, telefone), os financiamentos, cartões de crédito, se já foi negativado, se costuma atrasar e até sua capacidade de endividamento, informou Scarabelli.
“Com base no seu histórico, será formado um extrato com uma pontuação, chamado de escore, que vai de zero a 1.000. A recomendação é que seja concedido o crédito para uma pessoa com escore acima de 500, mas há empresa mais rigorosas e outras menos rigorosas”, informou Scarabelli.
O atual sistema leva em conta apenas informações negativas. E muitas vezes não corresponde com a realidade. É comum clientes serem negativados em serviços de crédito por operadores de telefonia sem sequer saber da dívida. Muitas empresas desprezam essa negativação, porque ela não retrata o perfil real do cliente.
Segundo Scarabelli, a nova legislação promove a justiça de crédito, vai pressionar os juros para baixo, já que o risco de inadimplência é menor, oportunizar crédito para quem não tem garantia real e promover a educação financeira. 
Já para as empresas, elas terão informações enriquecidas, controle maior sobre a inadimplência, condições de disputar pelos bons pagadores e ainda ter ao seu dispor uma ferramenta eficiente de marketing.
É que a Aciap poderá oferecer ao associado, por exemplo, uma lista com clientes da cidade com escore acima de 600 pontos, isso em função da base de dados fornecidos pelo birô de crédito que opera (que faz mais de 700 combinação para definir o escore do cliente) e de sua própria base construída ao longo dos anos através do preenchimento de cupons nas campanhas de fomento do comércio. 
“Um cliente pode até dar um endereço falso num cadastro para concessão de crédito, mas não dará o endereço errado para concorrer a uma carro”, exemplifico ele.
CURSO – Associado antigo da Aciap e ex-diretor da entidade nos anos 80 e 90, Paulo Gonçalves Vicente participou do encontro de ontem. Ele aplaudiu a iniciativa de promover as reuniões mensais com os empresários e sugeriu que a Associação realize cursos com os crediaristas das lojas para mostrar como funciona o novo sistema.
A sugestão foi acatada e a Aciap vai disponibilizar treinamento sobre o Cadastro Positivo e já está dando consultoria sobre o assunto.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.