Local
Técnicos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP) e da Universidade Federal de Lavras (UFLA) estiveram em Paranavaí se reunindo com produtores e técnicos para realização de painéis de custo de produção do projeto Campo do Futuro. Este projeto reúne informações estratégicas junto aos produtores rurais, para ajudá-los na tomada de decisões do dia a dia na atividade. Na cidade o levantamento foi dos custos de produção das culturas de laranja e mandioca, consideradas as mais representativas da região.
Para fazer estes levantamentos, o Projeto convida grupos de técnicos e produtores conhecedores da realidade local para elaborar planilha de custos de produção. No caso de Paranavaí, foram realizados dois painéis, um pela manhã (laranja) e outro à tarde (mandioca). Os encontros foram nesta terça-feira (11), no Sindicato Rural, que faz parte do Sistema CNA/FAEP/Senar.
Em 2017 já havia sido feito levantamento semelhante em Paranavaí com relação aos custos de produção da laranja. Mas esta é a primeira vez que a cultura da mandioca está participando do projeto.
Os grupos levantaram os custos referentes à safra 20128/2019 de suas respectivas culturas, considerando preço de insumos (fertilizantes e defensivos), custo de mão de obra, valor e quantidade de horas de trabalho na aplicação de insumos, tratos culturais, colheitas, entre outros dados.
FORMATO – Os trabalhos foram conduzidos pela engenheira agrônoma Lorena Machado Pedrosa, da Assessoria Técnica da CNA. Segundo ela, há 12 anos o projeto vem sendo realizado pela CNA buscando apresentar um quadro da realidade das culturas mais representativas de cada região. Estes dados ajudam a CNA a interferir nas políticas públicas para o setor.
Com as informações, a Confederação justifica, com dados reais, as reivindicações apresentadas ao Ministério da Agricultura. Depois de tabuladas as informações, a CNA identifica os gargalos de cada cultura para aumentar a sua competitividade. O foco principal, diz Lorena Pedrosa, é levantar custos de produção, mas no contato com os produtores são recolhidas outras informações que são repassadas as respectivas comissões da CNA para encaminhamento à respectiva área para a solução. “Se a busca é por pesquisa de uma nova variedade, por exemplo, a demanda é encaminhada à Embrapa pelo CNA”, esclareceu a técnica.
Como as reuniões em Paranavaí outras 134 foram ou serão realizadas em outros municípios. No caso da mandioca, além de Paranavaí outra reunião foi no Mato Grosso do Sul.
O presidente do Sindicato Rural de Paranavaí, Ivo Pierin Júnior, disse que este projeto é uma ferramenta importante para auxiliar o produtor rural nas tomadas de decisões. Acrescentou que o projeto “aumenta as condições para a CNA defender os interesses dos produtores junto aos ministérios da Agricultura e da Economia e definir as políticas de fomento do agronegócio”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.