Local
O músico e declamador Dorival Torrente, do Grupo Gralha Azul, disse nesta quarta-feira (07) que a iniciativa da Santa Casa de Paranavaí, que instalou um centro de educação infantil (CEI) para atender filhos dos funcionários, “é ousada e arrojada”, que o exemplo deveria ser seguido por outras empresas da cidade e mostra o lado humano da diretoria.
A afirmação foi feita durante a cerimônia do primeiro aniversário do CEI Aníbal Ajita, comemorado com uma noite cultural no auditório da Unipar. Além do aniversário do Centro, o evento marcou a homenagem pelo Dia dos Pais e foi palco também de uma homenagem ao Gralha Azul.
Ao lado do companheiro de grupo Juarez Ferreira de Souza, o Juca, Torrente disse que seria muito bom que outras empresas também agissem assim (dando creche para os funcionários) e que ficou feliz em saber que o CEI leva o nome do falecido empresário Anibal Ajita, “por quem sempre tive uma grande admiração”, bem como à sua família. A empresária Elsa Ajita, filha de Aníbal, estava presente e ajudou a entregar a Torrente e Juca, cartazes produzidos pelas crianças com frases das músicas do Gralha Azul.
Torrente anunciou que, “apesar da perda irreparável que tivemos, com a morte do Paulinho (Paulo César de Oliveira, idealizador e líder do grupo), estamos ensaiando e pretendemos voltar. A canoa tem que seguir, a vida continua”. E finalizou agradecendo a homenagem, “que recebemos com muita humildade”.
A homenagem ao Gralha Azul foi uma iniciativa do próprio CEI com o objetivo de “despertar nas crianças o interesse e a curiosidade pela cultura, música e literatura e valorizar os talentos regionais”. E a escolha recaiu sobre o Gralha “por se tratar de um grupo que sempre cantou as belezas do nosso estado e cidade, o que enriquece a construção cultural de nossas crianças”, como explicou a coordenadora da creche, Michele de Assis Golim, que fez a entrega dos trabalhos das crianças junto com Elsa Ajita.
UMA DAS MELHORES DO BRASIL – Na abertura, ao saudar os presentes, Michele agradeceu aos pais que “confiam seus bens mais preciosos” à instituição. E agradeceu aos colaboradores do CEI e aos voluntários da Santa Casa, “que sempre tem nos ajudado a dar o melhor às crianças”.
Por sua vez, o diretor-geral administrativo do hospital, Héracles Alencar Arrais, disse que, apesar das dificuldades que passam os hospitais brasileiros e das incertezas na economia, a Santa Casa resolveu enfrentar o desafio a dar uma creche aos filhos dos funcionários. O processo foi liderado pela gerente assistencial Marily Vasconcelos Gomes. “E chegamos ao primeiro aniversário”, disse ele.
Arrais contou que ficou “muito satisfeito” com o comentário feito por uma equipe do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, que recentemente esteve na Santa Casa de Paranavaí. Segundo os profissionais, que visitam hospitais em todo o país, poucos oferecem creches para os filhos de funcionários e com esta qualidade.
O diretor ainda fez menção a Aníbal Ajita, “que lá do céu está nos dando energia e sua luz está iluminando a instituição” e agradeceu também os voluntários que tem ajudado, alguns até financeiramente, no aprimoramento dos serviços às crianças. Citou ainda que o CEI da Santa Casa beneficia não só os funcionários, mas toda a cidade, já que são entre 40 e 50 vagas que não serão ocupadas na rede pública, ficando à disposição para atender outras famílias da comunidade.
Encerrou parabenizando o grupo Gralha Azul, que ao longo dos anos tem esparramado cultura de qualidade. “Nossas crianças vão crescer num ambiente cultural muito saudável”, relatou ele.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.