Local
REINALDO SILVA
Educação ambiental na prática. A instalação dos ecopontos permitirá à comunidade de Paranavaí fazer o descarte correto de resíduos sólidos em quatro regiões da cidade: Vila Operária, Jardim Morumbi, Jardim São Jorge e Distrito de Sumaré. “O objetivo é estimular a separação correta do lixo”, afirmou o secretário municipal de Administração, Hugo Morgado Braga.
Os ecopontos funcionarão em locais que já são utilizados para o depósito de lixo. Por enquanto, o descarte é feito de maneira desordenada, sem critérios. Jogam materiais recicláveis, itens de construção civil, móveis, equipamentos eletrônicos, galhos de árvores, resíduos orgânicos, pneus e até animais mortos.
Com a mudança, serão permitidos apenas recicláveis, materiais de construção e restos de jardinagem. Lixo orgânico deverá ser recolhido pelo caminhão de coleta convencional. O diretor municipal de Meio Ambiente, Murilo Pitta Rizzato, explicou que os ecopontos só poderão ser utilizados por pessoas físicas. Empresas deverão adotar a dinâmica da logística reversa.
Em cada unidade será instalada uma estrutura administrativa, onde uma pessoa será responsável por identificar e cadastrar os moradores que entrarem no ecoponto. O funcionário fará as devidas orientações e indicará as caçambas de lixo correspondentes aos itens a serem descartados. O funcionamento será de segunda a sábado.
TRÂMITES LEGAIS – De acordo com o secretário de Administração, os trâmites legais para a execução do projeto avançaram nesta semana. É que a Universidade Estadual do Paraná (Unespar) aprovou o uso do espaço para a instalação do ecponto no Jardim Morumbi.
Inicialmente, o terreno pertencia à Administração Municipal. Foi doado para a universidade e voltou aos cuidados municipais. No entanto, a instituição de ensino condicionou o uso do local para fins educacionais, por isso, desde 2009 não havia destinação. Agora, com a proposta de promover educação ambiental, a Unespar acenou positivamente.
Vencida essa etapa, o edital do processo licitatório poderá ser concluído. A expectativa é que a empresa a executar a instalação dos quatro ecopontos seja escolhida até janeiro de 2020. As unidades deverão estar prontas ainda no primeiro semestre. O investimento estimado é de aproximadamente R$ 600 mil.
GANHOS SOCIAIS – Todos os itens recicláveis e eletrônicos descartados nos ecopontos serão destinados à Cooperativa de Seleção de Materiais Recicláveis e Prestação de Serviços de Paranavaí (Coopervaí). A medida resultará no aumento da produção mensal dos cooperados e, consequentemente, em maior rendimento para eles.
Outra perspectiva positiva dos escopontos é a possibilidade de parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social. O diretor de Meio Ambiente disse que móveis e eletrodomésticos descartados em condições de uso poderão ser reaproveitados e repassados para famílias que vivem em situação de vulnerabilidade.
VILA OPERÁRIA – A ideia é que os ecopontos sejam construídos simultaneamente, para que comecem a ser utilizados ao mesmo tempo. Um deles, na Vila Operária, resolverá o problema apontado pela comunidade do bairro há quatro décadas: descarte de lixo a céu aberto naquele terreno.
Além do aspecto visual, o uso do chamado “Buracão da Vila Operária” provoca uma série de incômodos para os moradores, desde o mau-cheiro até complicações de saúde por causa da fumaça resultante das queimadas no local. A instalação do ecoponto porá fim à situação.
De acordo com Rizzato, o novo espaço para descarte de lixo terá pouco mais de 2.000 metros quadrados. O restante do terreno será fechado e, posteriormente, utilizado para outra finalidade.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.