Local
REINALDO SILVA
A geada de baixa intensidade não provocou perdas em grande escala nas lavouras do Noroeste do Paraná. A avaliação foi feita pelo chefe do núcleo regional da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab), Ênio Luiz Debarba.
As hortaliças foram as mais atingidas pelas condições do tempo durante o final de semana – muito mais pelos ventos frios do que pela geada. Mesmo assim, explicou Debarba, só houve efeitos bruscos nas plantações a céu aberto. Aquelas protegidas por coberturas não foram atingidas.
De acordo com o chefe regional da Seab, em outras regiões do Paraná as geadas foram mais intensas e comprometeram as plantações de hortaliça em escalas maiores, principalmente alface e almeirão.
Um dos resultados poderá ser percebido pelos consumidores ao longo dos próximos dias: os preços das verduras deverão sofrer alta nos supermercados de todo o Paraná, já que os valores, mesmo os praticados na região, giram em torno da produção estadual.
OUTRAS CULTURAS – Nos municípios do Noroeste do Paraná, os efeitos da geada foram percebidos no pontos mais baixos. Foi o caso das plantações de mandioca e das pastagens, segundo Debarba. Nos lugares mais altos, não houve danos.
Em relação às lavouras de milho, as baixas temperaturas não tiveram interferência. Nas propriedades com cultivo de café, a ação do vento foi mais prejudicial do que propriamente a geada, mas só será possível mensurar o tamanho das perdas nos próximos dias.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.