Local
REINALDO SILVA
A implantação do Núcleo Maria da Penha (Numape) e a chegada da Patrulha Maria da Penha, em 2018, potencializaram a rede de atendimento e enfrentamento à violência doméstica, em Paranavaí. Trata-se de uma parceria entre diferentes instituições, com o objetivo de garantir proteção às vítimas.
Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), a professora Maria Inez Barboza Marques explicou que o público-alvo é formado por mulheres “que estão passando por violação de direitos humanos e sofrendo riscos, inclusive de morte”.
A rede é formada por representantes do CMDC, da Delegacia da Mulher, da Patrulha Maria da Penha, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), do Numape, do Ministério Público e da Secretaria Municipal de Saúde, através da Coordenação da Saúde da Mulher e da Estratégia Saúde da Família.
Em conjunto, estão definindo estratégias de atendimento e o papel de cada instituição nesse processo de acolhimento das mulheres que sofrem violência doméstica. “São realizadas deliberações e distribuição de tarefas, na tentativa de dar respostas efetivas à demanda apresentada”, afirmou Maria Inez.
De acordo com a presidente do CMDM, a rede oferece acompanhamento e monitoramento para mulheres e familiares, incluindo crianças e adolescentes. “Os casos complexos e mais difíceis de serem solucionados são apresentados pelas próprias instituições.”
Grande parte dessas situações é conhecida por causa dos boletins de ocorrência registrados na Delegacia da Mulher ou das medidas protetivas instauradas. As mulheres já são acompanhadas pela Patrulha Maria da Penha ou recebem atendimento do Creas ou do Numape. 
Segundo Maria Inez, nem todas as mulheres que sofrem violência doméstica procuram ajuda. Mas, para se ter uma ideia, em 2018 a Delegacia da Mulher registrou 1.050 boletins de ocorrência. Média de 88 casos por mês.
“Sabemos que muitas [mulheres em situação de violência doméstica] não chegam à delegacia ou até nós. Então, existe a necessidade de capacitação de profissionais que atendem em diferentes serviços para atuarem conosco”, destacou.
Pensando nisso, o CMDM e o Numape promoverão, no dia 30 de maio, uma mesa coordenada sobre violência doméstica. Na ocasião, os participantes falarão da rede de atendimento e dos trabalhos de notificação compulsória da violência doméstica. O evento terá início às 8h30, no Centro de Eventos de Paranavaí.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.