Local
Assessoria Prefeitura
 “Apesar do último LIRA (Levantamento de Índice Rápido do Aedes) ter sido o menor deste ano, a preocupação com o ritmo acelerado de proliferação das larvas do mosquito continua. O índice, que era de 3,2 (médio risco) em janeiro, 4,7 (alto risco) em março, e 1,6 (médio risco) em julho, caiu agora para 1,0 (médio risco). Mas temos que considerar que antes da coleta dos dados do LIRA, tivemos um período de 15 dias ou mais de estiagem e isso é um fator de grande diminuição da presença do mosquito alado. O que nos deixa em alerta total é o fato de que as fêmeas tiveram muito tempo para depositar os ovos. Assim que começarem as constantes chuvas de verão, aliadas às altas temperaturas, estes ovos vão eclodir todos de uma vez. Não estamos livres do risco de uma nova epidemia”, destacou o assessor da Vigilância em Saúde, Randal Fadel Filho, durante a reunião do Comitê Municipal de Combate à Dengue, realizada nesta quarta-feira (23).
Durante a reunião, Randal apresentou aos membros do Comitê os resultados do 4º LIRA de 2019. “A região com maior infestação de larvas é a que abrange os jardins Ouro Verde, Ouro Branco e área do Sílvio Vidal. Nestes locais o índice é de 2,8. Desde a semana passada estamos com equipes trabalhando naquela região diariamente para conter os riscos de proliferação. Com relação aos tipos de depósitos considerados potenciais criadouros para o Aedes aegypti, em Paranavaí, 42,9% das larvas foram encontradas nos depósitos móveis (vasos e frascos com água, pratos, garrafas retornáveis, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais em depósitos de construção, etc), o que mostra que a população ainda não se despertou para a realidade que estamos vivendo”, explicou.
Até esta quarta-feira (23), a Vigilância em Saúde registrou os seguintes números da dengue em Paranavaí: 2.814 casos notificados, 1.061 positivados, 1.707 descartados e 46 aguardando resultados. “O Ministério da Saúde determina que o nosso ano epidemiológico começa a contar a partir de 1º de agosto. Em 60 dias (de 1º de agosto e 30 de setembro), nós já registramos 48 casos positivos de dengue em Paranavaí e, em média, 12 novas fichas de casos suspeitos notificados por dia”, apontou Randal.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.