Local
REINALDO SILVA
A Prefeitura de Paranavaí segue fazendo investimentos no terreno utilizado para descarte de entulhos, na Vila Operária. O objetivo é reduzir gradativamente o volume de lixo jogado no local, até que os ecopontos estejam em funcionamento. A expectativa é que os novos espaços para a destinação de resíduos sólidos fiquem prontos no começo de 2020.
Secretário de Meio Ambiente, Ramiro Kulevicz explicou que os ecopontos serão equipados com caçambas e contêineres onde deverão ser depositados materiais recicláveis (papel, plástico, metal e vidro), madeira, equipamentos eletrônicos e objetos de grande porte, por exemplo, móveis domésticos.
Todos os itens descartados serão entregues para a Cooperativa de Seleção de Materiais Recicláveis e Prestação de Serviços de Paranavaí (Coopervaí). A logística da coleta ainda está sendo definida.
Kulevicz afirmou que serão investidos aproximadamente R$ 150 mil em cada um dos quatro ecopontos previstos no projeto da Administração Municipal. Se as verbas forem suficientes e houver sobras, outra unidade será construída em Paranavaí, totalizando cinco ecopontos. 
A ideia, disse o secretário municipal, é que estejam localizados em bairros estratégicos, permitindo que pessoas de todas as regiões da cidade tenham acesso fácil aos ecopontos. A partir daí, a fiscalização sobre o descarte irregular de lixo será intensificada, assim como a aplicação de multas.
Um dos ecopontos será no terreno da Vila Operária. Por enquanto, a Administração Municipal investe recursos para dificultar o descarte de lixos orgânicos, industriais, hospitalares e recicláveis. O espaço, informou Kulevicz, é exclusivo para itens de construção civil, entre os quais, entulho e madeira, e resíduos verdes resultantes de jardinagem e podas de árvores. 
Nesta primeira fase de recuperação do chamado “Buracão da Vila Operária”, a Prefeitura de Paranavaí instalou alambrados ao redor e no interior do terreno, construiu calçada ecológica, fez o plantio de árvores e colocou dois portões. Além disso, investiu na instalação de um padrão de energia, para o equipamento de monitoramento.
O problema, apontou o secretário de Meio Ambiente, é que parte dos investimentos foi perdida. “O padrão de energia foi furtado. Levaram algumas mudas de árvores. Retiraram cerca de 80 metros do alambrado. Levaram até mesmo um dos portões.” O prejuízo, contabilizou, passa dos R$ 3.200.
Independentemente dessas circunstâncias, os investimentos seguem. O próximo passo é instalar de oito a 10 postes de energia, para que o local ganhe nova iluminação. A Administração Municipal também fará o plantio de cerca viva ao redor de todo o terreno e de outras 100 mudas em um espaço destinado à arborização.
“Sabemos que ainda há muito para ser feito, mas estamos trabalhando da melhor forma possível para acelerar a recuperação daquele terreno”, declarou Kulevicz. “É um problema de 40 anos que estamos tentando resolver dentro das nossas limitações.”
O secretário de Meio Ambiente fez um apelo para a população: que aja dentro das regras e não faça descartes irregulares no Buracão da Vila Operária. Também pediu para que, sempre que possível, os moradores denunciem furtos e atos de vandalismo no local. 
O restante do terreno, onde atualmente são jogados diferentes tipos de resíduos sólidos, será fechado para o público, até que a Administração Municipal conclua os estudos que apontarão qual será a finalidade do espaço.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.