Local
REINALDO SILVA
Em Paranavaí, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto, conversou com exclusividade com a equipe do Diário do Noroeste. Apontou três grandes planos que têm como objetivo promover o crescimento econômico em pontos estratégicos do país: Amazônia, Nordeste e Centro-Oeste. 
São obras de melhorias de infraestrutura que envolvem investimentos setoriais previstos desde 1988, disse. Sem apresentar muitos detalhes, Canuto destacou que os projetos serão incluídos no Plano Plurianual (PPA) do Governo Federal.
O ministro também falou da pretensão de revisar as políticas regionais de controle das fronteiras, especialmente no Sul do país. Disse, ainda, que o Ministério do Desenvolvimento Regional prevê investimentos para o Extremo-Sul e para o Sudeste do país.
Canuto destacou a importância das parcerias público-privadas para colocar as propostas em prática. “Queremos estar mais próximos da iniciativa privada, buscando investimentos em obras de mobilidade urbana e infraestrutura.”
A ideia é priorizar meios para o escoamento da produção agrícola, balcões de armazenamento e laboratórios de pesquisa para aprimoramento das principais culturas. Na área urbana, aprimorar o uso de calçadas e vias públicas.
BR-376 – A rápida conversa com o ministro do Desenvolvimento Regional, na noite de segunda-feira (22), foi logo após ele receber das mãos de representantes da sociedade civil organizada o projeto de duplicação da BR-376, entre Paranavaí e Tuquarussu (MS).
Na ocasião, explicaram para Canuto a importância de investir na ampliação da rodovia, abrindo mais possibilidades para o transporte de safras entre os dois estados. Isso também fortaleceria a economia dos municípios da região.
O ministro disse que precisa avaliar a proposta apresentada pela sociedade civil organizada e verificar a viabilidade técnica e as questões financeiras. Mas se mostrou receptivo à participação da comunidade quanto à criação de estratégias de desenvolvimento.
Segundo Canuto, o presidente Jair Bolsonaro tem grande abertura para parcerias com grupos organizados que conhecem a realidade da comunidade e buscam o fortalecimento da economia local. “Temos essa visão de ouvir aqueles que produzem.”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.