Local
ADÃO RIBEIRO
Oficialmente o motorista preferiu não prestar depoimento, utilizando o direito de só falar em juízo. Porém, informalmente acabou revelando alguns detalhes da rota de tráfico que fazia até ser detido pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE) anteontem em Presidente Castelo Branco. Uma das declarações é de que a droga seria levada para São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.
O caminhoneiro, 38 anos, disse que pegou a carga de maçã em Santa Catarinas. Então, passou em Toledo no Sudoeste do Paraná, onde “turbinou” a carga com seis fardos de maconha, totalizando 948 quilos, escondidos no meio das caixas de frutas. 
Para chegar até o interior de São Paulo, o motorista faria um desvio, já que o destino final da carga de maçã seria Cariacica, no Espírito Santo. Pelo frete extra ele receberia R$ 8 mil. Nesta versão, o motorista não teria relação direta com o “negócio”, mas, apenas com o transporte da drogas, chamados “mulas” na gíria policial. O condutor reside em Mundo Novo (MS) e já respondeu por contrabando de cigarros. 
O delegado de Nova Esperança, Vagner dos Santos Malaquias, confirmou que o motorista preferiu o silêncio. Autuado em flagrante por tráfico, ele se encontra à disposição do Poder Judiciário. Malaquias informou que ontem à tarde tratava dos detalhes para a incineração da maconha apreendida. 
O delegado informa ainda que a carga de maçã foi devolvida ao proprietário original que contratou o frete, uma vez que não tem nenhuma relação com o episódio do tráfico. A mesma situação se aplica aos proprietários da carreta. 
O CASO – A carga de maconha foi apreendida por volta de 13h30 de anteontem. A Polícia Rodoviária Estadual fazia uma fiscalização na PR-498. O caso foi descoberto porque a equipe desconfiou devido ao nervosismo demonstrado pelo motorista.
Depois de constatado que havia droga, a carreta foi levada inicialmente para o Posto de Polícia Rodoviária de Tamboara. Logo após, o material e o motorista foram levados para a Delegacia de Polícia Civil de Nova Esperança. 
MAIS TONELADAS – Este foi o segundo grande carregamento de maconha apreendido em menos de 24 horas na região de Paranavaí. No domingo à noite uma operação conjunta da Polícia Federal (PF), Divisão Estadual e Narcóticos (Denarc) de Maringá, Polícia Civil de Paranavaí e  8º Batalhão de Polícia Militar, apreendeu 2,6 toneladas da droga na BR-376 em Nova Esperança.
A droga estava escondida numa carga de milho em uma carreta com placas de Vilhena, Rondônia. O motorista fugiu, abandonado o veículo e a carga, avaliada em até R$ 3 milhões. O material apreendido foi levado para a Delegacia da Polícia Federal em Maringá.
A Polícia Federal passou a acompanhar o caso após receber informações do possível transporte da droga. Então, iniciou-se o acompanhamento. O motorista ao notar que estava sendo acompanhado, fugiu, abandonando o veículo e a carga.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.