Local
REINALDO SILVA
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) atualizou, na tarde de ontem, os números da dengue. De acordo com os registros, o Paraná soma 13.504 casos positivos da doença, sendo 1.088 na região Noroeste. 
Na proporção com o número de habitantes, os municípios do Noroeste com maior incidência de confirmações são os seguintes: Porto Rico, Nova Londrina, Loanda, Paranapoema, Amaporã, Santa Isabel do Ivaí, São Carlos do Ivaí e Cruzeiro do Sul. Todos em situação de epidemia.
Desde o início do ano, 17 mortes por dengue foram contabilizadas em todo o estado. A região de Londrina tem o maior número de óbitos, sete. Em seguida aparecem as regionais de Cascavel (quatro), Paranavaí (três), Maringá (dois) e Foz do Iguaçu (um).
Para evitar o avanço da doença, é necessário adotar medidas básicas de limpeza de quintas e fundos de loja. O lixo acumulado pode se tornar reservatório de água, dando condições para que o mosquito transmissor da dengue, Aedes aegypti, complete o ciclo reprodutivo.
Outra situação que favorece a proliferação do inseto é o descarte irregular de resíduos em terrenos baldios, fundos de vale e margens de vias públicas.
Ao mesmo tempo, cabe às administrações municipais a responsabilidade de intensificar a eliminação de criadouros do Aedes aegypti e aumentar a fiscalização nos imóveis, inclusive com a aplicação de multas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.