Local
REINALDO SILVA
A estrutura é destinada ao acolhimento de 250 cães e gatos, mas o número de abrigados é superior: 378. A Sociedade Protetora dos Animais de Paranavaí (Spap) tem como objetivo prestar assistência àqueles que não possuem tutores definidos.
A equipe recebe animais atropelados, feridos, doentes ou em situação de abandono. São levados por voluntários ou por servidores municipais, já que a entidade não possui veículo para fazer o transporte. Sempre é preciso comprovar que estavam em condições de vulnerabilidade.
O presidente da Spap, Guilherme Amorim Silveira, informou que não são recebidos animais que possuem tutor definido, que é o responsável. Se não quiser ou não puder mais manter os cuidados, a pessoa deve tentar encontrar alguém que aceite fazer a adoção. Uma das possibilidades é utilizar o grupo “Achados e Perdidos Paranavaí (Animais)”, no Facebook.
Silveira explicou que a Spap extrapola as responsabilidades quando oferece castrações a custo social “para pessoas comprovadamente em situação de baixa renda (até um salário mínimo)”. O procedimento cirúrgico também é oferecido a beneficiários de programas sociais inscritos no CadÚnico, totalizando dez castrações gratuitas por mês.
A Spap é composta por seis funcionários responsáveis por fazer a limpeza, o suporte aos voluntários no resgate de animais e a segurança do abrigo. Mas carece de um profissional que cuide das questões administrativas, já que não há recursos suficientes para a contratação. Além disso, a assistência veterinária é feita de forma voluntária. 
A entidade recebe subvenção no valor de R$ 8.833,33 por mês, valor que corresponde a 35% do orçamento total. A maior parte dos recursos é destinada à folha de pagamento dos funcionários e aos impostos. O restante é aplicado na compra de rações, medicamentos. “Esses dois itens, conseguimos comprar uma vez ao ano somente”, afirmou o presidente. 
Em relação aos animais de grande porte, a Spap não pode fazer o recolhimento quando estão em perímetro urbano, já que não dispõe de verba para essa finalidade. “O que existe é um convênio firmado com a Viapar, que nos passa um valor mensal que corresponde a 45% de toda a nossa fonte de recursos.” O dinheiro é para receber animais retirados da rodovia.
ADOÇÃO – De acordo com o presidente da Spap, quando uma pessoa não tem condições de manter o animal ou os animais em casa, deve divulgar nas redes sociais, inclusive na página de achados e perdidos do Facebook. Assim, pode ser mais fácil conseguir alguém que aceite adotar.
Ele também estimulou a comunidade a ir ao abrigo para fazer a adoção de animais. “Temos 378 peludinhos aguardando um lar para dar amor e muito carinho.” Basta ir à sede da entidade e apresentar RG, CPF e comprovante de residência e preencher um cadastro. Depois, é só escolher qual ou quais levar para casa. Outra possibilidade é visitar as feirinhas de adoções. 
CASTRAÇÃO – Silveira explicou que as castrações garantem diversos benefícios aos animais. “Tornam-se mais dóceis, mais carinhosos, menos agitados. Os machos se portam melhor ao fazer xixi, melhor a condição de saúde. Sem falar no controle populacional, que é o maior foco da Spap nesta gestão.”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.