Local
Assessoria Prefeitura
O Procon de Paranavaí divulgou nesta semana um balanço dos atendimentos já feitos neste ano. No total, foram mais de mil atendimentos, 500 ofícios e 100 processos realizados, sempre em defesa do consumidor. Os setores com mais reclamações são as operadoras de telefonia, seguido pelas instituições bancárias e financeiras e comércio local e e-commerce.
O Procon atende primeiramente os consumidores que fizeram solicitação através da ouvidoria (canal direto do Procon com os fornecedores). Em casos que não tiveram resolutividade, o Procon encaminha ofício notificando o fornecedor para resolução, e ainda assim, se não tiver resolutividade, é feito um processo administrativo para realização de uma audiência procurando a conciliação entre as partes. Se após todos esses passos ainda não houver êxito, o Procon julga o processo e decide pela sanção ou não, conforme determina a lei.
Qualquer pessoa física ou jurídica que adquira produtos ou serviços como destinatário final na relação de consumo pode fazer uma reclamação. Os consumidores devem primeiramente tentar resolver os problemas com os fornecedores e, se acaso não obtiver sucesso, procurar o Procon para intermediar a possível solução, munidos da resposta de sua tentativa preliminar, documentos e protocolos.
Até o momento, foram feitos 680 atendimentos sobre telefonia, internet e TV; 158 sobre bancos e seguros; 122 para comércio (local e e-commerce); e 116 para outros assuntos diversos. Dos 1.076 atendimentos, 515 foram resolvidos e arquivados.
Neste mesmo período, o Procon fez 561 ofícios, tendo resolvido 220 e outros 264 ainda estão em andamento. Dos 77 ofícios não resolvidos, 37 consumidores solicitaram a abertura de processo administrativo. Em 26 foram realizados acordos e 11 ainda estão em andamento.
Segundo o coordenador do Procon, Carlos Eduardo Balliana, é importante realizar atendimentos de qualidade e procurar solucionar os problemas da população. “As pessoas têm no Procon um parceiro para resolver problemas que eventualmente apareçam. Nós estamos atentos ao que acontece e sempre vamos procurar defender o consumidor. Qualquer um pode ir até o Procon para esclarecer suas dúvidas e ter um auxílio formal na defesa de seus direitos”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.