Local
REINALDO SILVA
Investir na qualificação profissional e estimular a classe empresarial a ampliar a oferta de vagas de emprego. Esses são dois importantes desafios que precisam ser vencidos para fortalecer a economia paranaense a partir da geração de postos de trabalho e de renda. 
Para isso, é fundamental identificar as demandas de cada região do estado e proporcionar cursos de capacitação de mão de obra. Foi o que defendeu o presidente do Conselho Estadual do Trabalho (CET), José Toaldo Filho, que esteve ontem em Paranavaí para uma reunião técnica com representantes de diferentes municípios do Noroeste do Paraná.
Na avaliação de Toaldo Filho, o Paraná precisa sair na frente e vencer os altos índices de desemprego que se espalham por todo o país. “A geração de emprego no estado tem crescido, mas temos que avançar muito mais.” 
Diretor do Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda, Ederson Colaço foi um dos representantes da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) no evento em Paranavaí. Também argumentou em favor da qualificação profissional.
Citou o projeto “Carretas do Conhecimento”, que garante formação de mão de obra em diferentes áreas de atuação. As unidades móveis estão instaladas em oito municípios e até o final deste ano deverão ter passado por 46. O público prioritário é formado por pessoas em condições de vulnerabilidade social.
AGÊNCIAS DO TRABALHADOR – Superintendente de Intermediação de Mão de Obra da Sejuf, Walmir dos Santos falou da importância de melhorar o recrutamento nas agências do trabalhador de todo o Paraná. Nesse sentido, disse que o caminho é o estreitamento das relações com a classe empresarial.
Ele também apontou como destaque a preparação das equipes que atuam dentro de cada Agência do Trabalhador, para agregar conhecimento e oferecer serviços com qualidade cada vez maior, adequando os perfis de candidatos às exigências feitas pelas empresas contratantes. 
ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS – Ederson Colaço informou que o Governo do Estado tem a intenção de atrair investimentos para o Paraná num total de R$ 40 bilhões até o final de 2022. Metade desse valor deve ser alcançada somente neste primeiro ano de mandato, de acordo com as prospecções.
Segundo o diretor do Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda, a vinda desses recursos representará a instalação de novas empresas e, por consequência, a criação de postos de trabalho. 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.