Local
Em comemoração ao Dia Nacional e Municipal da Consciência Negra, celebrado neste dia 20, a Câmara de Paranavaí e a Associação Negritude de Promoção da Igualdade Racial, Anpir, realizaram na última segunda-feira, 18, no plenário da Casa de Leis, a entrega dos diplomas Personalidades Negras. A homenagem reforça o reconhecimento da contribuição da igualdade racial e valorização da população negra mediante a atuação dos homenageados na sociedade. 
Foram homenageados: Adriele de Souza da Silva, Marcela Souza da Cruz, Maria Aparecida dos Santos de Souza, Nivaldo Aparecido da Rocha e Roberto do Carmo de Souza.
O vereador professor Carlos Alberto João utilizou a palavra, em nome do Legislativo, para ressaltar a importância das políticas públicas em prol da população negra. “Na semana passada nós tivemos uma boa notícia no que diz respeito à promoção da igualdade racial, apresentada pelo IBGE, que demonstra que aumentou o número de pessoas negras nas universidades públicas. Fruto de políticas públicas de inclusão social implantadas no passado, que aos poucos foi tornando essa população mais visível na sociedade brasileira. Então nós temos que comemorar porque sempre apresentamos dados ruins sobre a população negra, mais especificamente este, nós temos que comemorar. […] Precisamos construir políticas para a manutenção, a superação e a ampliação dessas políticas. Está aí um grande desafio que temos pela frente. A política de combate ao racismo deve ser contínua, deve ser permanente e atender outras instâncias. […] Esta Casa de Leis faz história dando e promovendo a igualdade racial na nossa cidade. Parabéns a todos os homenageados e homenageadas desta noite”, disse. 
Em seu pronunciamento, a presidente da Anpir, Luci Maria Dias Onório, retratou dados estatísticos da população negra, falou sobre as desigualdades e a importância da justiça no Brasil. “É necessária justiça social. Não tem como tratar como igual os desiguais. O Brasil tem uma enorme dívida com os negros, por isso é imperativo criar políticas de reparação para o crescimento, valorização, justiça e reconhecimento. O racismo é uma ferida aberta, consequência histórica e irá sempre ser abordado até o dia em que as pessoas negras forem realmente livres. Por isto, […] homenageamos cinco personalidades negras que são referência na educação, na cultura, na comunicação, na ação social e religiosa. Nossos homenageados e homenageadas saíram do meio do povo, de famílias humildes que nunca desistiram de sonhar e lutar. Por isso são nossas referências para uma Paranavaí sem racismo, sem violência, sem opressão”, concluiu parabenizando os homenageados.
Após a entrega dos diplomas Personalidades Negras, o Grupo Filosofia do Samba se apresentou.  
De 18 a 22 de novembro, a Anpir e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, APP-Sindicato promovem atividades em comemoração XXII Semana Negritude e XIII Semana África Brasil.
“Esta luta não é só minha. A sociedade precisa ter a consciência de ser uma sociedade antirracista, uma sociedade que oportunize para que as pessoas tenham espaço: espaço na universidade, espaço na Câmara, espaço nos conselhos, espaço nos movimentos sociais. Nós precisamos de oportunidade”. 
Adriele de Souza da Silva 
“Desde pequena eu queria entrevistar as pessoas, estar na TV. Hoje eu faço isso e é só a realização do meu próprio sonho. Faça isso, seja a realização do seu sonho. Independente de onde você está, da família que você tem, da sua cor e o que as pessoas falam. Os outros são só os outros e você é o que você quer ser”. 
Marcela Souza da Cruz
“Hoje nós temos na direção de um colégio com 1190 alunos uma negra que fez, tem feito e fará a diferença na nossa família Silvio Vidal e no nosso bairro, o Jardim São Jorge. […] um colégio que tem a segunda melhor nota do Enem, que tem o melhor aluno das Olimpíadas Brasileiras de Matemática, […] Por isso eu digo: Ame e aceite quem você é. […] Não é uma cor que vai fazer você parar, é o que esta dentro de você, a sua fé, a sua vontade”.
Maria Aparecida (Cidinha) dos Santos de Souza
“Gostaria primeiramente de agradecer a Deus, […] a minha esposa Maria Júlia, minha família […], aos vereadores […] e a Anpir, da qual faço parte, que também me acolheu e me incluiu no grupo de pessoas valorosas […] Como foi dito aqui, todos nós temos uma história de vida, cada qual fez a sua história, deixou o seu legado e estamos aqui hoje recebendo essa homenagem […] Deus abençoe a todos. Muito obrigado”.
Nivaldo Aparecido da Rocha 
“Nosso povo, nossos antepassados quando foram trazidos da África para o Brasil eram os melhores escravos. Eram nobres, príncipes e os mais fortes. Então somos um povo forte, temos sangue azul na veia […] Fomos escolhidos para estar aqui no Brasil e fazer um Brasil mais forte, mais nobre e melhor”.
Roberto do Carmo de Souza

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.