Local
Assessoria Prefeitura
Os agentes de endemias de Paranavaí trabalharam esta semana com visitas domiciliares em todos os bairros da cidade para fazer o quarto e último Levantamento de Índice Rápido do Aedes (LIRA) de 2019. O índice, que era de 3,2 (médio risco) em janeiro, 4,7 (alto risco) em março, e 1,6 (médio risco) em julho, caiu agora para 1,0 (médio risco). Apesar de ser o índice mais baixo do ano, continua a preocupação com o ritmo acelerado de proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti e as chances de uma nova epidemia na cidade com a chegada do verão.
Para a realização do novo LIRA, a Vigilância em Saúde dividiu a cidade em cinco setores de fiscalização. Três setores estão com baixo índice de infestação, um está na faixa de médio risco e um está com nível zero de infestação. No total, foram inspecionados 2.150 móveis entre os dias 14 e 18 de outubro (de segunda a sexta-feira).
A região com maior infestação de larvas é a que abrange os jardins Ouro Verde, Ouro Branco e área do Sílvio Vidal. Nestes locais o índice é de 2,8. A região que abrange o Centro e o Jardim Guanabara, apresenta risco baixo – 0,9. Em seguida, aparecem as regiões do Sumaré, Morumbi, Vila Paris, Jardim América, Campestre, Oáses e Distrito Industrial, com índice de 0,7 (baixo risco); e a região do São Jorge, Vista Alegre e Três Conjuntos, com índice de 0,5 (baixo risco). O menor índice registrado foi na região do Jardim Santos Dumont e Vila Operária, com infestação zero.
Com relação aos tipos de depósitos considerados potenciais criadouros para o Aedes aegypti, em Paranavaí, 42,9% das larvas foram encontradas nos depósitos móveis (vasos e frascos com água, pratos, garrafas retornáveis, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais em depósitos de construção, etc) e 28,6 % foram encontrados entre resíduos sólidos (recipientes plásticos, garrafas PET, latas), sucatas e entulhos de construção.
“O Ministério da Saúde determina que o nosso ano epidemiológico começa a contar a partir de 1º de agosto. Em 60 dias (de 1º de agosto e 30 de setembro), nós já registramos 48 casos positivos de dengue em Paranavaí e, em média, 12 novas fichas de casos suspeitos notificados por dia. Estes números, aliados às altas temperaturas e a previsão de chuvas constantes, nos deixa em alerta total”, destaca o assessor da Vigilância em Saúde, Randal Fadel Filho.
Até a última quarta-feira (16), a Vigilância em Saúde registrou os seguintes números da dengue em Paranavaí: 2.797 casos notificados, 1.060 positivados, 1.686 descartados e 51 aguardando resultados. Preocupada com os números, a Vigilância em Saúde já está programando convocar uma reunião com o Comitê de Combate à Dengue na próxima semana para apresentar os números e discutir estratégias de combate ao mosquito na cidade.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.