Local
REINALDO SILVA
O Conselho Universitário (COU) da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) aprovou a implantação da política de cotas. Terá validade a partir do próximo vestibular, previsto para 17 novembro deste ano, com ingresso em 2020.
A nova estratégia de seleção de candidatos garantirá 50% das vagas totais para cotistas. 25% serão para alunos que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas. Outros 20%, para pretos e pardos que tenham feito o ensino médio em instituições de ensino públicas. E 5% para pessoas com deficiência, independentemente do percurso formativo. 
Em relação aos indígenas, a Unespar já participa da política estadual de vagas no ensino superior. Significa que a cada ano seis delas são exclusivas para essa população.
A ação afirmativa será aplicada em todos os 70 cursos de graduação da Unespar nos sete campi distribuídos pelo Paraná: Apucarana, Campo Mourão, Curitiba I e Curitiba II, Paranaguá, Paranavaí e União da Vitória. 
Pró-reitora de Ensino de Graduação, a professora Maria Simone Jacomini Novak falou sobre a importância da política de cotas. “Somos uma universidade pública que prima pelo direito de todos e todas terem acesso ao conhecimento produzido e propiciado pelo ensino superior.”
Na avaliação dela, por muitos anos a graduação foi negada a populações marginalizadas. O novo sistema de seleção garante, minimamente, reparação. “A ideia não é tirar vaga de ninguém, mas dar acesso para grupos que foram historicamente excluídos por questões econômicas, étnicas e raciais”, destaca a pró-reitora.
Coordenadora do Centro de Educação em Direitos Humanos (CEDH), a professora Andréa Sério Bertoldi explicou que a implantação da política de cotas demonstra o alinhamento da Unespar com a Constituição Federal de 1988 e inúmeros documentos nacionais.
Segundo ela, esses marcos legais “estabelecem a igualdade de oportunidades como fundamento para o desenvolvimento de ações afirmativas de acesso à educação”. Além disso, preservam o princípio de igualdade e de oportunidades entre todas as pessoas.
Processo de aprovação da política de cotas na Unespar
Em 2017 teve início o processo de elaboração da política de cotas na Universidade Estadual do Paraná (Unespar), com seminários para discussão e reflexão sobre o tema.
No ano seguinte, foi nomeada a Comissão de Cotas da Unespar, com representantes docentes, discentes, de movimentos sociais (negros e pessoas com deficiência) e de diferentes setores da instituição. 
Ainda em 2018, a minuta do documento foi concluída e submetida à consulta pública. Já em 2019, passou por revisão e foi novamente discutida pelo Conselho Universitário (COU) da Unespar. 
No dia 8 de maio deste ano, o documento foi aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe). E no dia 29 de maio, foi a vez do COU aprovar a implantação da política de cotas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.