Local
Mais de 63% dos casos confirmados de dengue em Paranavaí estão concentrados em quatro regiões da cidade: região do Jardim Santos Dumont, região do Jardim São Jorge, região da Vila Operária, e área do Centro. 
Levantamento divulgado pela Vigilância em Saúde, ontem, aponta que, até o momento, a cidade já tem 880 casos notificados de dengue este ano. Do total, 190 casos foram confirmados, 570 negativados e 120 aguardam resultado.
As informações são da assessoria de imprensa da Prefeitura.
“Pelo menos 121 dos casos confirmados estão concentrados em pontos específicos dos jardins Santos Dumont, São Jorge, Vila Operária e Centro. Só no Santos Dumont são 56 casos confirmados. Lá, temos um bloco de 15 quadras com mais de 20 pessoas com dengue. Temos ruas onde tem quatro ou cinco residências vizinhas com casos confirmados, isso mostra que a circulação viral está aumentando e a proliferação das larvas está em ritmo acelerado”,  explica o assessor da Vigilância em Saúde, Randal Fadel Filho.
“Estamos em um momento crítico, pois o município não está recebendo as doses dos venenos utilizados para fazermos os bloqueios virais no entorno dos locais onde são notificados os casos suspeitos”, disse Randal Fadel Filho.
Este mês de maio é um dos mais críticos, diz o assessor da Vigilândia. “Com as temperaturas mais amenas, as fêmeas saem em busca de alimento e vão picar muita gente, podendo transmitir a dengue”, explica.
“Nós estamos alertando a população há meses sobre os riscos de uma epidemia que pode prejudicar a cidade. Nossa realidade é preocupante. Nosso primeiro LIRA (Levantamento de Índice Rápido do Aedes), em janeiro, registrou 3,2 (médio risco). Em março, o índice já subiu para 4,7 (alto risco), o que revela o ritmo acelerado de proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti e aumenta ainda mais as chances de uma nova epidemia na cidade”, frisa Randal.
“Os números são assustadores: em 2017, fechamos o ano com 25 casos confirmados de dengue na cidade; em 2018, foram 37; e este ano, só nestes primeiros 130 dias, já temos 194 confirmados. Continuamos insistindo: estamos em alerta total”. (Ass./Pref.)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.