Paranavaí
Pelo menos três mulheres foram agredidas por homens durante o feriado do Dia do Trabalhador em Paranavaí. Já representa uma anormalidade, mas, os episódios foram agravados porque os agressores são companheiros e ex-companheiros, ou seja, da família.
Na noite de anteontem, uma mulher pediu ajuda na Rua Sílvio Vidal, área central de Paranavaí. Disse que seu convivente a agrediu com socos no rosto. Ela apresentava inchaço na testa.
Diante da situação, os policiais procuraram o suspeito. Ele, como é padrão nestes casos, fugiu antes da chegada da equipe da Polícia Militar. Denúncia feita às 22h45 desta quarta-feira.
Já no dia anterior, uma mulher precisou de ajuda na Rua Pedro Jorge, Conjunto Habitacional Geraldo Felipe. Ela disse que foi agredida pelo ex-marido com chutes. Sem falar que o homem ainda fez ameaças, afirmando que passaria “por cima dela”. 
O homem estava de carro e aproveitou para fugir antes da chegada da Polícia. O boletim com o registro do caso foi enviado para a Polícia Civil, visando dar continuidade ao trabalho de investigação e, uma vez atestada a agressão, ser feita a denúncia ao Poder Judiciário. 
OUTRO CASO – No começo da noite do feriado do Dia do Trabalho, o ex-convivente de uma moradora da Rua Francisco Isidoro de Oliveira, Jardim Maringá, foi até a casa da mulher. 
Com sinais de estar embriagado, ele danificou um portão e uma porta da casa. Depois, fez ameaças de morte, afirmando que iria “furar” a ex-mulher. Também neste caso o suspeito foi embora antes da chegada da equipe policial.  
CENÁRIO – Os números do primeiro trimestre deste ano reforçam a preocupação com a violência contra a mulher. De janeiro a março a Delegacia da Mulher registrou 301 ocorrências, média superior a 100 por mês. 
Em 2018 a Delegacia da Mulher contabilizou 1.050 boletins de ocorrência, média de 87,5 registros por mês. No ano de 2017, a Delegacia totalizou 895 casos de violência contra mulheres, média mensal de 74,5 ocorrências. Nos períodos de 2015 e 2016 a média ficou em cerca de 500 registros ao ano.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.