Paranavaí
ADÃO RIBEIRO
Após autorização judicial, a Polícia Civil incinerou ontem em Nova Esperança os 948 quilos de maconha apreendidos na segunda-feira desta semana em ação da Polícia Rodoviária Estadual. A incineração é importante por questões de segurança. 
A droga apreendida estava escondida numa carga de maçã. A apreensão se deu na PR-498, em Presidente Castelo Branco. O motorista, 38 anos, morador em Mundo Novo (MS), não prestou depoimento, usando o seu direito de só falar em juízo. 
Mas, revelou que a droga seria levada para São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Ele pegou a carga de maçã em Santa Catarina. No entanto, foi em Toledo no Sudoeste do Paraná, que pegou a droga, escondida sob a carga. 
A maconha iria para São José do Rio Preto, enquanto a carga de maçã deveria ser entregue em Cariacica, no Espírito Santo. O homem receberia R$ 8 mil para transportar a carga proibida. O carregamento de maçã foi devolvido ao proprietário, que nada sabia sobre o tráfico. 
OUTRA – Um dia antes dessa apreensão, a Polícia Federal (PF), em conjunto com a Divisão Estadual e Narcóticos (Denarc) de Maringá, Polícia Civil de Paranavaí e 8º Batalhão de Polícia Militar, apreendeu 2,6 toneladas de maconha na BR-376 em Nova Esperança.
A droga estava escondida numa carga de milho em uma carreta com placas de Vilhena, Rondônia. O motorista fugiu, abandonado o veículo e a carga, avaliada em até R$ 3 milhões. O material apreendido foi levado para a Delegacia da Polícia Federal em Maringá.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.