Política

Requerimento foi aprovado em discussão única, na sessão da última segunda-feira, e será enviado à Secretaria de Assistência Social, que garante responder os questionamentos

Em que condições vivem e quais são as políticas públicas municipais voltadas para imigrantes e refugiados em Paranavaí? Esses são os questionamentos da vereadora Cida Gonçalves ao Poder Executivo e estão estampados no Requerimento 105/2021 aprovado em discussão única na sessão ordinária da última segunda-feira (7). O pedido de informações seguirá para a Secretaria de Assistência Social, que terá prazo de 15 dias para responder.

O objetivo da vereadora e dos companheiros que também assinam o documento encaminhado à Administração Municipal é conhecer a realidade dessa população e garantir que tenham direitos, dignidade e bem-estar, aponta o requerimento. Subscrevem o texto Roberto Cauneto Picoreli (Pó Royal) e José Galvão.

A ideia de levantar as informações partiu da percepção de que houve aumento de estrangeiros trabalhando nas ruas de Paranavaí, especialmente fazendo apresentações artísticas nos semáforos. Também se tornou frequente ver pessoas de outros países pedindo ajuda financeira para sustentar a família. “Muitos são refugiados, outros buscam melhor qualidade de vida”, diz Cida Gonçalves.

A secretária de Assistência Social, Maria Dêis Klososki, informa que as equipes técnicas fazem busca-ativa de imigrantes e identificam as demandas. Aqueles que têm residência fixa e precisam de auxílio são incluídos nos programas municipais e se tornam beneficiários das políticas públicas. O acompanhamento das famílias é feito por profissionais que atuam nas unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

No caso das pessoas em situação de rua, as ações partem do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Quando são identificadas, recebem orientações e passam a fazer parte do cadastro municipal. Podem participar dos programas oferecidos pela Prefeitura de Paranavaí ou voltar para o país de origem, com direito a passagem custeada, a depender da própria escolha. “Tentamos mostrar que o melhor é voltar para a família, mas a opção é de cada um”, afirma Maria Dêis.

De acordo com a coordenadora municipal de Proteção Especial, Jézica Buniotti, as políticas públicas destinadas a pessoas em situação de rua incluem encaminhamento para tratamentos terapêuticos, concessão de benefícios continuados, articulação com serviços municipais, entrega de cobertores e de produtos de higiene pessoal e de limpeza e orientações, com escuta social e triagem especializada. Em média, são 25 atendimentos por mês.

Em relação ao requerimento elaborado pela Câmara de Vereadores, a secretária de Assistência Social garante que, assim que o documento for entregue, verificará todas as informações solicitadas e responderá, seguindo os dados compilados pelas equipes municipais.

 

Maria Dêis Klososki explica como são feitos os atendimentos a imigrantes em Paranavaí

Foto: Divulgação

Vereadora Cida Gonçalves fala da importância de garantir direitos e qualidade de vida

Foto: Câmara de Vereadores

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.