Região
O combate ao aedes aegypt, mosquito causador da dengue e chikungunya e zica, foi pauta de reunião entre servidores da Prefeitura de São Joao do Caiuá. O objetivo é evitar que a cidade entre na lista de municípios em situação epidêmica. 
“Estamos no início do período quente e chuvoso, ambiente propicio para a proliferação do mosquito. Pedimos que a população colabore, mantendo seus quintais limpos e elimine todos os recipientes que possam acumular agua”, pediu o prefeito Carlos Maia. 
A enfermeira do setor de Vigilância e Saúde, Thaise Colombo, passou para os servidores alguns dados sobre a o ciclo de vida mosquito, que pode depositar até 1.500 ovos que sobrevivem por cerca de 450 dias fora d´água. Tudo isso em um ciclo de cerca de dez dias de vida. 
A cidade registra em 2019, total de 37 casos suspeitos notificados. Desses, quatro tiveram a confirmação da doença, sendo um importado de Paranavaí. “O combate à dengue deve se tornar um habito diário do cidadão”, disse Colombo. 
O município vem tomando algumas medidas no combate ao mosquito, como eliminar possíveis focos em árvores da cidade. Também estão sendo empregados pequenos peixes, distribuídos em bebedouros de gado, nas proximidades da cidade.
O prefeito Carlos Maia destacou que os casos de desobediência e resistência no combate ao mosquito, serão encaminhados para justiça. “Combate à dengue é um dever de todos, os que teimarem serão notificados judicialmente”, finalizou o gestor.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.