Economia

Paranavaí teve saldo negativo na geração de empregos durante o primeiro semestre de 2020. De acordo com os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Governo Federal, foram 2.936 contratações e 3.412 desligamentos. O comércio foi o setor com pior resultado: admitiu 912 e demitiu 1.147, totalizando 235 postos de trabalho a menos.

O desempenho da indústria também foi desfavorável. De janeiro a junho, o setor contratou 916 pessoas e desligou 1.053. Na agropecuária, 215 admissões e 280 demissões. Os serviços foram responsáveis por incorporar 708 trabalhadores e desligar 734. Em relação à construção civil, o Caged aponta 185 novos empregos e 198 pessoas que deixaram de trabalhar.

A pandemia de Covid-19 foi a principal responsável pelos resultados negativos. Segundo a gerente da Agência do Trabalhador de Paranavaí, Elen Della Pria Kumatsu, houve desaquecimento na economia, o que forçou a classe empresarial a reduzir o quadro de funcionários. Em anos anteriores, portanto sem medidas restritivas e distanciamento social, Paranavaí registrou números favoráveis no quesito geração de empregos, disse.

Gerente-executivo da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap), Carlos Henrique Scarabelli, afirmou que o resultado era esperado, “diante do cenário que estamos vivendo”. A maioria dos municípios, argumentou, enfrenta a mesma situação. “Lamentamos o saldo negativo, mas consideramos que poderia ser muito pior.” Eram esperados pelo menos 3.000 desligamentos.

Na avaliação de Scarabelli, as medidas adotadas para reduzir os impactos econômicos da pandemia de Covid-19 foram assertivas, por exemplo, a redução da jornada de trabalho e a suspensão de contratos. Utilizando desses artifícios para evitar demissões, os empresários contribuíram para que a performance superasse as expectativas negativas.

O gerente-executivo da Aciap demonstrou preocupação quanto às desocupações. “Pela primeira vez, metade dos brasileiros em idade para trabalhar não tem emprego.” A informação está baseada na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

RETOMADA ECONÔMICA – Elen disse estar otimista quanto aos resultados de julho e dos meses a seguir. O novo período “pode trazer melhora”. Diariamente são atendidas mais de 100 pessoas pela equipe da Agência do Trabalhador, além das captações de vagas junto às empresas de Paranavaí. “O poder público está trabalhando para mudar o cenário negativo.”

A gerente da Agência do Trabalhador também apontou a importância dos cursos de qualificação profissional. Disse que não são garantia absoluta de ingresso no mercado, mas tornam o currículo profissional mais consistente, aumentado as chances de conseguir um emprego. Outra possibilidade é buscar o caminho do empreendedorismo. “Se está difícil, é preciso se reinventar.”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.