Região

No final da tarde de ontem, a Agência do Trabalhador de Paranavaí contabilizava 119 vagas de emprego. A oferta foi impulsionada pelo setor industrial, responsável pela maioria das oportunidades (61). Comércio e serviços somavam 49. Construção civil e ensino abarcavam o restante, totalizando nove.

A maioria das oportunidades de colocação no mercado de trabalho partiu de uma indústria do setor alimentício. Com a rotatividade de funcionários e a necessidade de fazer um cadastro de reservas, o frigorífico anunciou 50 vagas, sem exigir experiência ou qualificação profissional. O único requisito: ter mais de 18 anos de idade.

De acordo com a gerente da Agência do Trabalhador, Elen Della Pria Kumatsu, a realidade em outros setores é diferente. Algumas funções exigem formação específica, mas faltam profissionais que atendam às expectativas dos empregadores. É o caso de açougueiros e soldadores. “São perfis raros.”

Mesmo sem atendimento presencial, currículo profissional pode ser entregue na Agência do Trabalhador

Uma das possibilidades para ocupar esses e outros espaços no mercado de trabalho é buscar cursos de capacitação e de qualificação profissional. O Senac de Paranavaí, por exemplo, oferece uma série de opções gratuitas e online, além dos cursos que requerem investimento.

 

ESTABILIDADE ECONÔMICA – A avaliação de Elen Della Pria Kumatsu é que ainda está cedo para falar em retomada da economia, mesmo com a crescente oferta de postos de trabalho. Mesmo assim, existe a percepção de que o cenário é de estabilidade. “Pode mudar rapidamente, mas a tendência é que siga com esse equilíbrio.”

Para se ter uma ideia, basta comparar a quantidade de pessoas que solicitaram Seguro-Desemprego em maio e julho. Foram, respectivamente, 495 e 317. Não significa que todos esses trabalhadores conseguiram o benefício, mas é possível interpretar que houve redução no número de demissões.

CURRÍCULO PROFISSIONAL – A gerente da Agência do Trabalhador de Paranavaí disse que as pessoas que buscam emprego precisam elaborar corretamente o currículo profissional. Muitos são encaminhados sem as informações necessárias para a avaliação dos empregadores.

Elen Della Pria Kumatsu ressaltou a necessidade de constar no documento o nome completo, o endereço residencial, o número de telefone para contato e o e-mail, além do histórico profissional. Também é fundamental que os candidatos informem o número do CPF, para que a equipe da Agência do Trabalhador faça verificações e triagens.

Os atendimentos presenciais estão suspensos, por causa da pandemia de Covid-19, mas os servidores seguem com assistência remota, por telefone e pela internet. Diariamente são aproximadamente 150 pessoas.

SERVIÇO – No caso de dificuldades para elaborar o currículo profissional, também é possível utilizar o modelo disponibilizado no site da Agência do Trabalhador (agenciadotrabalhadorparanavai.wordpress.com). A página também apresenta orientações sobre o Seguro-Desemprego e o painel de vagas de emprego.

Para entregar o currículo profissional pessoalmente, basta ir à Agência do Trabalhador, na Rua Marechal Cândido Rondon, 1.701, no Centro de Paranavaí, onde existe um espaço específico para os currículos.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.