Querência do Norte
A Prefeitura de Querência do Norte, através das Secretarias do Desenvolvimento Econômico, da Ação Social e de Educação, realizou a 2ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. O evento contou com a participação de aproximadamente 110 representantes da sociedade civil e governamental.
A Conferência tratou de três eixos temáticos, sendo eles: 1º-  Alimento como princípio de existir; 2º – Desafios e possibilidades da política pública e o 3º – A geografia da fome e desperdício de alimentos.
“A Soberania alimentar nutricional faz parte das estratégias de desenvolvimento local para conduzir em prazo razoável a melhoria das funções de alimentação das comunidades locais, para que o município possa propor soluções de soberania alimentar, pois só assim ocorre o verdadeiro desenvolvimento econômico e social”, declarou a secretária municipal do Desenvolvimento Econômico, Sandra Mara de Oliveira Soares Escher.
As conferências municipais e regionais, antecedem a etapa estadual e servem para apresentar recomendações para a formulação e ajustes das políticas voltadas para o tema, como o acesso a alimentos de qualidade, melhoria do abastecimento, sustentabilidade, futuro da agricultura familiar, entre outros.
As recomendações serão apresentadas em agosto, durante a Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional 2019, que vai avaliar o 2º Plano de Segurança Alimentar e Nutricional 2016 – 2019, composto por 10 desafios, 92 metas e 231 ações, e fazer propostas e ajustes para subsidiar o 3º Plano Estadual de Segurança Alimentar 2020 – 2024
O número de municípios paranaenses que efetuou adesão ao SISAN (Sistema Nacional de Segurança Alimentar) em 2018 alcançou 122, tornando o estado referência nacional. O Paraná responde atualmente por 35,88% do número total de adesões ao SISAN no Brasil. 
O SISAN é um sistema público, semelhante ao SUS, instituído em 2006 pela Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional para assegurar o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA). O SISAN tem gestão intersetorial e participativa, que possibilita a articulação entre os três níveis de governo para implementação e execução da Política de Segurança Alimentar e Nutricional.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.