Paranavaí
Assessoria Prefeitura
Um relatório feito pela direção da UPA (Unidade de Pronto Atendimento 24 horas) de Paranavaí, aponta que na última semana, de 9 a 16 de dezembro, aproximadamente 10% de todos os casos atendidos na unidade de urgência e emergência foram de pessoas com suspeita de dengue. “Atendemos 1.950 pacientes neste período e, do total, 161 casos tiveram hipótese diagnóstica para dengue, de acordo com o quadro clínico”, esclarece a diretora da UPA, Simone Cristina Baggio.
A preocupação com o rápido aumento do número de casos de dengue é cada vez maior. “Nos últimos dias estamos registrando um aumento rápido no número de casos confirmados da doença em Paranavaí. Para se ter uma ideia, em todo o ano de 2018 tivemos 39 casos positivos de dengue na cidade. Este ano, do dia 1º de janeiro até o dia 10 de dezembro, já temos 1.181 casos confirmados, 30 vezes mais que os números do ano passado. É uma situação preocupante, já que estamos enfrentando períodos de chuvas seguidas de intenso calor, o que colabora muito para a eclosão dos ovos e a proliferação do mosquito”, explica a diretora da Vigilância em Saúde, Keila Stelato.
NÚMEROS – Em 2018, a Vigilância notificou 642 casos suspeitos de dengue em Paranavaí. Este ano, até o dia 10 de dezembro, já foram 3.255 notificações. “A população precisa ter em mente que nós estamos em epidemia desde o final de maio. Depois, tivemos um período de dormência da proliferação do mosquito por conta das baixas temperaturas do inverno. Mas agora, ainda nem estamos no verão e já experimentamos temperaturas altíssimas todos os dias. Se a comunidade não colaborar, verificando os quintais e eliminando os recipientes que possam acumular água parada, vamos começar o ano de 2020 já com um número alto de casos notificados e positivados. Dengue não é brincadeira; não é algo que dá pra cuidar uma semana e depois deixar de lado. Ainda não tivemos nenhum caso de óbito este ano, mas a dengue pode matar, e não queremos repetir aquela situação crítica que tivemos na última epidemia em Paranavaí”, reforçou Keila.
CUSTO ELEVADO – Um levantamento realizado pela Secretaria de Saúde de Paranavaí aponta que, só no primeiro semestre de 2019, os atendimentos a pacientes com suspeita de dengue nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) já custaram R$ 314.535,47 aos cofres municipais. 
“Cada atendimento de caso suspeito de dengue na UPA, por exemplo, custa R$ 248,29 para o município. Quando o atendimento é feito nas UBSs, o custo é de R$ 37,70 por paciente. Também tivemos muitas centenas de casos suspeitos de dengue que não continham o CID no prontuário eletrônico e estes atendimentos têm um custo individual de R$ 142,99”, destaca a secretária de Saúde do município, Andréia Vilar.
No primeiro semestre, o município também pagou mais de R$ 29 mil para a realização de 4.269 exames – 379 exames de sorologia para dengue e 3.890 hemogramas com plaquetas para suspeita de dengue. Cada exame de sorologia custa R$ 17 e os hemogramas R$ 5,90.
Para a secretária de Saúde, “é preciso ter em mente que dengue é um problema de saúde pública e a responsabilidade é da população. O município, o Estado, os órgãos de Vigilância, fazem o trabalho preventivo, de orientação, e a Saúde absorve o tratamento depois que as pessoas já ficaram doentes. Para não ter dengue, só depende da população, de cada um cuidar do seu quintal e do quintal dos vizinhos também; denunciar caso veja algo de errado, para que possamos atuar com as notificações e até mesmo com multas quando necessário. Combater a dengue é uma luta exclusiva dos órgãos públicos, é responsabilidade de cada cidadão”, frisou Andréia.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.