Destaque

Expectativa da Agroceres PIC é que as obras sejam concluídas no segundo semestre de 2022. Em funcionamento, a empresa terá capacidade de geração de 300 empregos diretos e indiretos

Mais de 85 mil metros quadrados de área construída em um espaço de aproximadamente 600 hectares. Essa será a dimensão da Agroceres PIC em Paranavaí, com duas unidades de produção e uma de disseminação de genes, além da fábrica de ração. O investimento vai permitir à empresa aumentar o fornecimento de fêmeas e reprodutores de suínos de alto valor genético e de genética líquida, uma forte tendência observada tanto no mercado brasileiro como no sul-americano.

Gerente de produção da Agroceres PIC, Nevton Hector Brun informou ao Diário do Noroeste que as obras de construção das unidades produtivas terão início ainda este mês e deverão gerar 400 empregos. “Já temos o licenciamento ambiental e a documentação em ordem, o terreno terraplanado e concluímos o orçamento com a construtora.” A previsão é que o empreendimento esteja pronto no segundo semestre de 2022, criando 300 postos de trabalho diretos e indiretos.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Carlos Emanuel Rodrigues, disse que os impactos serão positivos. A geração de empregos aumentará a capacidade de renda dos moradores de Paranavaí e dos municípios vizinhos, proporcionando maior injeção de recursos no comércio e no setor de prestação de serviços através do consumo. Ele também destacou a importância da empresa como geradora de tributos para os cofres públicos, permitindo o fortalecimento das ações da Administração Municipal junto à população.

Rodrigues apontou outras possibilidades. “A empresa efetivamente funcionando deve atrair empreendimentos menores do setor. Será a abertura de portas para o fomento da economia.” A lista de expectativas do secretário municipal também inclui o aumento da população de Paranavaí, motivado pela criação de novos postos de trabalho. Na avaliação dele, a perspectiva de alcançar a marca de 100 mil habitantes é positiva. Em 2020, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estimou 88.922 pessoas morando em Paranavaí.

A EMPRESA – O gerente de produção da Agroceres PIC informou que o Núcleo Genético Gênesis terá capacidade para alojar 3.600 fêmeas puras e poderá produzir até 110 mil animais por ano. Já a Unidade de Disseminação de Genes (UDG) terá estrutura para 800 reprodutores e produção superior a 1,1 milhão de doses insemitantes por ano. A fábrica de ração conseguirá até 35 mil toneladas por ano.

O objetivo central do investimento é o mercado brasileiro. “Queremos manter e elevar o nível de excelência em atendimento de produtos e serviços aos nossos clientes. E quando falo isso, quero dizer entregar ao suinocultor brasileiro um animal de altíssimo padrão”, declarou Nevton Hector Brun. Acrescentou que a exportação de material genético “é também um dos indutores do nosso investimento”.

De acordo com Brun, o padrão genético atingido pela empresa é equivalente ao encontrado nos Estados Unidos, na Alemanha, na Espanha e na Dinamarca. Por isso, o Brasil passou a ser visto como um país com potencial para a exportação de material genético e não apenas de carne suína. “Os investimentos que estamos fazendo vão ampliar e aprimorar nossa estrutura. Vão nos dar fôlego para atingir os mercados que já atendemos, como Argentina, Paraguai e Bolívia, e outros países que já manifestaram interesse pelo produto brasileiro”, por exemplo, Peru, Equador, Colômbia, Chile e até mesmo China.

Conforme o gerente de produção da Agroceres PIC, o Brasil tem uma das suinoculturas mais eficientes do mundo, com a produção de 2 milhões de fêmeas suínas. “Somos o quarto maior produtor e o quarto maior exportador mundial. A suinocultura brasileira ingressou em uma nova etapa de crescimento orgânico e deve registar aumento de 350 mil matrizes nos próximos quatro anos.”

A ESCOLHA – Brun contou que a decisão pela instalação da empresa em Paranavaí foi resultado de pesquisas e análises. “Além da localização estratégica da cidade, que está em uma região sem tradição na produção de suínos, o que confere alto grau de isolamento para nossa unidade, Paranavaí tem uma excelente infraestrutura, com fácil acesso, boas estradas e um ótimo IDH [Índice de Desenvolvimento Humano], que era algo que procurávamos.”

Segundo ele, a construção do novo núcleo genético permitirá expandir a atuação em outros países, mas, principalmente, “atender nossos clientes no Brasil, fornecendo animais do mais alto nível genético, e ajustar nossa estrutura de produção frente ao crescimento da suinocultura brasileira”, disse o gerente de produção.

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, a ideia de haver mais um produto de exportação saindo de Paranavaí deve ser comemorada, por evidenciar as potencialidades locais. Ele citou outras culturas que têm destaque no mercado internacional e levam o nome da cidade para todo o mundo: laranja, mandioca e carne de frango.

 

Carlos Emanuel Rodrigues avalia as possibilidades de ganhos econômicos para o município com a chegada da empresa

Foto: Arquivo DN

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.